Região

Projeto para pequenas usinas de biodiesel já começa a ser definido

Da Redação ·

O projeto idealizado pelo governador Roberto Requião de tornar viável a implantação de unidades de pequeno porte para produção de biodiesel em pequena escala envolvendo a agricultura familiar começa a ter o perfil delineado.Conforme os estudos conduzidos por um grupo de trabalho coordenado pela Copel e que ainda estão em andamento, a configuração mais indicada é uma planta-piloto processadora de grãos, alimentada inicialmente com soja, com capacidade de produzir 5 mil litros de biodiesel por dia e 126 toneladas diárias de ração animal produzidas a partir da torta de soja e milho, atendendo a cerca de 2 mil famílias de agricultores.Os estudos desenvolvidos recomendaram que o empreendimento seja desenvolvido na forma de um projeto de pesquisa e desenvolvimento, em conjunto com cooperativas da região escolhida. Os trabalhos também confirmaram a região sudoeste do Paraná como a mais adequada para receber um empreendimento experimental dessa natureza e, principalmente, indicaram a necessidade de intensa participação de entidades estaduais como a Secretaria da Agricultura, Secretaria da Ciência e Tecnologia, Iapar, Tecpar, Emater e Ipardes, além da própria Copel, bem como cooperativas e associações de produtores rurais e cooperativas de crédito.Com a queda dos preços internacionais do petróleo, a questão da viabilidade econômica do biodiesel fica um pouco opaca, afirmou Requião. Mas, de toda sorte, precisamos adquirir e desenvolver tecnologias para viabilizar os nossos agricultores.EDITAL - O estágio atual de desenvolvimento dos trabalhos para implantação desta unidade de pequeno porte para produção de biodiesel foi apresentado na Escola de Governo desta terça-feira (27), em Curitiba, pelo diretor de engenharia da Copel, Luiz Antonio Rossafa. Ele informou que estão bem encaminhadas as negociações com as cooperativas e associações de produtores rurais, que estão a cargo da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento e que, brevemente, a Copel deverá finalizar as especificações técnicas a serem incluídas no edital de licitação para compra dos materiais e equipamentos da usina-piloto. Estamos bastante otimistas quanto ao sucesso do experimento, afirmou Rossafa. O desafio que nos foi proposto pelo governador é interessante e inteligente, porque propiciará o surgimento de novos interesses e oportunidades no âmbito da agricultura familiar, incrementando sua renda.Uma dessas oportunidades - o aproveitamento da glicerina resultante do esmagamento das oleaginosas - motivou Requião a encarregar o secretário da Indústria e Comércio, Virgílio Moreira Filho, de realizar uma pesquisa sobre as potencialidades de mercado desse material. A glicerina é um subproduto da produção do biodiesel que, caso não seja tratada, pode se transformar em fator de risco ambiental, disse o governador. Mas uma vez refinada e concentrada, passa a ter valor como matéria-prima industrial para dezenas de produtos, justificou Requião. A instalação de uma unidade de destilação da glicerina associada à planta de biodiesel é uma das alternativas cuja viabilidade está sendo estudada pela Copel.ARRANJO - O arranjo apontado como o de maior potencial de viabilidade até o momento prevê a produção de biodiesel a partir da soja, como ponto de partida. Não excluímos a possibilidade de uso de outras variedades de grão, mas a soja é a cultura que está mais estruturada e que apresenta a maior disponibilidade, explicou Luiz Antonio Rossafa.No arranjo proposto pelas entidades, a unidade de biodiesel vai processar 36 toneladas diárias de soja e produzir 5 mil litros de combustível, além de 126 toneladas diárias de milho para produzir ração animal, tudo para uso e consumo das 2 mil famílias de agricultores alcançadas pelo experimento. Não detectamos viabilidade na comercialização desses produtos no mercado, principalmente em razão da pequena escal

continua após publicidade