Região

Reitor esclarece à imprensa sobre auditoria no PS do HU

Da Redação ·

Hoje (17/12) o reitor Wilmar Marçal concedeu entrevista coletiva à imprensa para esclarecer sobre a determinação de uma Auditoria Interna no Pronto Socorro do HU para verificar denúncia feita por uma estudante do curso de Medicina de que o trabalho executado pelos internos (estudantes do 6º ano) não tem o devido acompanhamento de médicos plantonistas.

continua após publicidade

Segundo a carta, entregue à Promotoria de Infância e Juventude e repassada à Universidade, são os médicos residentes que acabam assumindo o papel de professores plantonistas, prestando apoio aos estudantes. O reitor encaminhou a denúncia à Auditoria na última segunda-feira (15/12), à tarde, depois de receber a informação por parte do Ministério Público.

O conteúdo também chegou às mãos do Colegiado do Curso e foi igualmente repassado ao reitor. No texto a estudante, que não está identificada, relata problemas de falta de estrutura no Hospital e de jornadas de mais de 12 horas por parte dos internos. A estudante relata ainda que, em que pese a festa dos formandos do último dia 20 de novembro, é preciso analisar as condições de trabalho dos internos.

continua após publicidade

O reitor ressaltou que como gestor público é preciso verificar com bastante critério denúncias que são feitas sobre o funcionamento dos órgãos públicos. "Por isso, assim que a carta chegou às minhas mãos imediatamente determinei a instalação de uma auditoria no Pronto Socorro", disse o reitor. Essa decisão foi tomada antes do pronunciamento do Conselho Estadual de Educação sobre a necessidade de uma auditoria no curso de Medicina que foi feito ontem, dia 16 através da imprensa.

Wilmar Marçal destacou ainda que a partir de janeiro será escolhido o novo Ouvidor do HU que vai atuar no sentido de ouvir e otimizar as queixas da comunidade interna e externa do hospital. A Auditoria no PS do HU não terá um prazo determinado para finalização dos trabalhos que, segundo o reitor, é um procedimento que necessita de certa liberdade operacional e um calendário para coleta de depoimentos e verificação in loco das denúncias.

"A Auditoria Interna da UEL possui uma logística própria de trabalho e pessoal treinado para esse tipo de verificação, por isso, fica difícil falar em prazo", explicou. O reitor ressaltou ainda a importância do curso de Medicina e do HU para Londrina e região e devido a isso todo e qualquer tipo de possível irregularidade precisa ser averiguado.