Região

Amuvi cobra rede de esgoto na região

Da Redação ·
Sem conclusão, estação elevatória impede que redes de esgoto prontas sejam ligadas em Apucarana
fonte: Sérgio Rodrigo
Sem conclusão, estação elevatória impede que redes de esgoto prontas sejam ligadas em Apucarana

Uma reunião técnica entre prefeitos da Associação dos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi) e o diretor da Companhia de Saneamento no Paraná (Sanepar), Fernando Ghignone, deve discutir hoje à tarde a situação do saneamento na região. Em muitos municípios, incluindo Apucarana, a empresa está longe de cumprir a projeção de obras definidas nos contratos de renovação da concessão do serviço.

continua após publicidade


Segundo o presidente da Amuvi, o prefeito de Faxinal, Adilson Silva Lino (PDT), o debate se faz necessário em função do atraso na ampliação da rede de esgoto prevista para a maioria dos municípios do Vale do Ivaí. “Pedi que os prefeitos apresentassem nesta reunião um levantamento sobre a cobertura da Sanepar em seus municípios. Há muitos casos em que o que estava previsto em contrato para 2010 não foi cumprido. Em Faxinal, não temos nem poços artesianos”.


Ele argumenta que, sem condições mínimas de saneamento, a qualidade de vida da população pode ser afetada. “São obras que não aparecem, mas que implicam em higiene e respeito ao meio ambiente”, salienta.

continua após publicidade


Apucarana é uma das cidades do Vale que ainda esperam investimentos na rede de esgoto. De acordo com um levantamento da Tribuna, o contrato renovado pelo município junto a Sanepar em 2003 previa que a cobertura do saneamento na cidade fosse ampliada de 24% para 65% até 2008. Hoje, no entanto, Apucarana tem apenas 32% dos imóveis, o equivalente a cerca de 10 mil domicílios, ligados à rede de esgoto.


O gerente regional da Sanepar, Nelson Mardegan, observa que o não cumprimento do que é definido em contrato costuma ocorrer devido a impasses judiciais. “Essas obras demandam interferências em propriedades e, muitas vezes, podemos ter resistências até a desapropriação do terreno. Por isso, acabamos ultrapassando o prazo. Além disso, como se trata de uma construção civil, também existe o problema da falta de mão de obra”, defende.


Ele analisa que, até o final deste semestre, o município deve atingir 58% da rede de esgoto. A Sanepar também prevê que até o final de 2012 a cobertura seja ampliada para 85%.

continua após publicidade

Equipe vai acelerar projetos


Um dos exemplos do atraso nas obras da Companhia de Saneamento do Paraná (Sanepar) em Apucarana é a elevatória do Parque Ecológico da Raposa. De acordo com o gerente regional da Sanepar, Nelson Mardegan, por se tratar de uma área de preservação, o projeto da estação sofreu diversas alterações. Com isso, redes que já estão concluídas ainda não foram ligadas. “Isso depende da elevatória, mas esperamos que a finalização da obra ocorra até junho, o que ajudará a ampliar a cobertura da rede de esgoto na cidade”, pontua.

continua após publicidade


Ontem, a Sanepar anunciou que criou uma força-tarefa para acelerar o desenvolvimento de projetos e o andamento de obras em todo o Paraná. Para 2011, a empresa prevê investir R$ 425 milhões nos sistemas de água tratada e de coleta e tratamento de esgoto. Cerca de 120 engenheiros e arquitetos fazem parte do grupo.


As principais dificuldades a serem enfrentadas pela equipe são a necessidade de readequação de projetos, licitações sem empresas interessadas e os processos de desapropriação de áreas e licenciamento ambiental. (A.L.)