Região

Vendaval causa prejuízos em Apucarana

Da Redação ·
Moradora Andréia Nadaluti mostra a casa da cunhada, nos fundos da sua: chuva destruiu tudo
fonte: Delair Garcia
Moradora Andréia Nadaluti mostra a casa da cunhada, nos fundos da sua: chuva destruiu tudo

O vendaval que atingiu Apucarana na madrugada de ontem causou prejuízos para moradores de várias regiões da cidade. De acordo com a Defesa Civil, 24 casas foram afetadas pelas chuvas, que tiveram início por volta da 1h30.

continua após publicidade


Na Colônia dos Produtores, perto do distrito do Barreiro, 11 residências foram destelhadas e invadidas pela água. Uma pessoa ficou ferida. Outras 10 casas ficaram alagadas no Núcleo Habitacional João Paulo e no Jardim Morada do Sol, na zona oeste do município. O mesmo aconteceu com mais três moradias na Vila Regina. Já no loteamento Norte do Paraná, que chegou a ser interditado pela Defesa Civil em 2009, uma família teve de ser retirada da área. Cerca de 200 metros de lona foram distribuídos para as vítimas.


O coordenador da Defesa Civil de Apucarana, cabo Maurício de Melo, relata que a situação de desalojamento aconteceu na Rua Bourbon, onde mais 13 casas, próximas a um barranco, estão em situação de risco. “A chuva abriu mais ainda a área de preservação, arrancando uma parte da estrutura que ficava embaixo da casa”, explica.
Ontem à tarde, o casal que vivia no local se preparava para se mudar para a residência de uma das filhas. “A casa está estralando toda a noite, sendo que duas minas d’água passam por baixo. Vamos sair porque estamos com medo, mas não podemos ficar para sempre na casa de parentes”, diz a dona de casa Maria Aparecida da Silva. O marido dela, o cortador de cana Manoel da Silva, lembra que a Prefeitura havia prometido retirar as famílias do loteamento há dois anos. “Isso tem que ser resolvido logo”, cobra.

continua após publicidade


Segundo o prefeito João Carlos de Oliveira (PMDB), a expectativa é que até o final do ano as 18 unidades destinadas aos moradores do loteamento sejam entregues, nos fundos do Parque Industrial Norte. “Nesta semana, estive com a direção da Cohapar, em Curitiba, e fui informado de que a construção será licitada novamente”, comenta.


Mas, mesmo sem serem obrigadas a abandonar suas residências devido às chuvas, mais famílias também estão tendo que encontrar outro lugar para morar. A doméstica Sandra Foganholi, diz que já começou a procurar uma nova casa. “Estava morando em um barracão quando o vento arrancou as telhas. Perdemos tudo, até os colchões”, lamenta.


O mesmo deve fazer Rosa Maria dos Santos, que teve a casa completamente destelhada. Segundo a cunhada dela, Andréia Nadaluti, que mora no mesmo terreno, Rosa e os filhos dormiam quando a cobertura da residência foi arrancada. “Um tijolo caiu na cama e ela se machucou, cortando o pé. Teve que procurar atendimento médico”, assinala.


De acordo com a Sanepar, as chuvas da madrugada também afetaram o tratamento da água na estação de Apucarana, prejudicando o abastecimento na cidade. A previsão do órgão era que até o final da tarde a situação fosse normalizada.