Região

Câmara discute soluções para Avenida Minas Gerais

Da Redação ·
 Ontem, a Viapar instalou taxões na divisória da pista
fonte: Sérgio Rodrigo
Ontem, a Viapar instalou taxões na divisória da pista

A Câmara de Apucarana realiza hoje, a partir das 15 horas, uma audiência pública para discutir a situação da Avenida Minas Gerais.

continua após publicidade


O evento vai reunir representantes das concessionárias Viapar e Rodonorte, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Ministério Público (MP) Prefeitura, do Departamento de Estradas e Rodagem (DER) e de outros órgãos.


O objetivo é promover um debate sobre a insegurança do trânsito e propor melhorias na avenida, que já foi palco de inúmeros acidentes e mortes. Neste ano, um motociclista morreu e inúmeros acidentes já foram registrados no local.

continua após publicidade


A audiência foi sugerida pelo vereador Júnior da Femac (PDT) no mês passado. Os acidentes fazem a avenida ser assunto frequente na Câmara. Levantamento da casa mostra que nos últimos anos foram apresentadas pelos vereadores 39 matérias sobre o assunto, mas os pedidos de semáforo, passarela, redutores de velocidade e outros investimentos não saíram do papel.


Segundo Júnior da Femac, moradores de bairros próximos à avenida o procuraram para organizar um manifesto, inclusive com o bloqueio da avenida. “Se a audiência não der resultado, serei o primeiro a apoiar o movimento”, adverte o vereador.


Por sugestão do vereador Aldivino Marques o “Val” (PSC) e aproveitando a presença dos órgãos de segurança, também será debatida a segurança na Avenida Governador Roberto da Silveira, de responsabilidade da concessionária Viapar.

continua após publicidade


Ainda no mês passado o presidente da Viapar, Marcelo Stachow Machado, se reuniu com o prefeito João Carlos de Oliveira, (PMDB).
Ele se comprometeu em fazer intervenções no seu trecho da avenida. Desde a semana passada a empresa melhora a sinalização, contudo, isso não foi suficiente para inibir a imprudência.


FISCALIZAÇÃO- O prefeito João Carlos de Oliveira esteve ontem com a superintendência da Polícia Rodoviária Federal em Curitiba. Ele busca readquirir a fiscalização da avenida e, assim, reativar os radares de controle de velocidade. Foram requeridos alguns documentos, que precisam sem encaminhados à Brasília. A expectativa é que em três meses municipalizar o trânsito na via.