Região

Abastecimento de água em Arapongas será paralisado

Da Redação ·

O abastecimento de água em Arapongas será paralisado a partir da meia noite do dia 15 de novembro. De acordo com a Sanepar, serão executados uma série de serviços de manutenção eletromecânica na captação de água, incluindo a troca de peças. O anúncio aconteceu durante entrevista coletiva na última sexta-feira (07) na Prefeitura de Arapongas.

continua após publicidade

O diretor de operações da Sanepar, Wilson Barion, informa que a paralisação do abastecimento de água em Arapongas é imprescindível para que os equipamentos que já estão desgastados sejam substituídos. Já o presidente da Sanepar, Stênio Jacob, frisa que após a força tarefa que envolveu diversos órgãos ambientais para detectar agentes poluidores na bacia do Ribeirão dos Apertados, a água fornecida à população de Arapongas é própria para consumo.

Segundo o prefeito Beto Pugliese, para que o abastecimento seja regularizado mais rápido nas residências e nas indústrias, as escolas da rede pública municipal não funcionarão no dia 17, segunda-feira. "A decisão de fazer a manutenção do sistema nos dias 15 e 16 deve-se ao fato de uma tendência natural: geralmente uma grande parcela de pessoas viaja no feriado", explica.

continua após publicidade

São necessárias algumas horas para que o abastecimento volte ao normal, pois a tubulação chega à 45 Km. Conforme informações da Sanepar, os sucessivos desabastecimentos de água desde o mês de agosto foram ocasionados pelo rompimento da tubulação de recalque dos conjuntos moto-bombas, focos de poluição, quedas no fornecimento de energia elétrica, em função da necessidade de manutenção no sistema de produção e para a execução de obras de melhoria no armazenamento de água.

Ribeirão dos Apertados
Também foi realizada na última sexta-feira (07), audiência pública convocada pela Promotoria de Justiça do Meio Ambiente, para apresentar um pré-diagnóstico das condições da bacia hidrográfica do Ribeirão dos Apertados, onde foram encontradas irregularidades por poluição com produtos químicos e dejetos de animais, extinção da mata ciliar e despejo de resíduos industriais.

A audiência foi coordenada pelo promotor substituto, Leandro Garcia Assunção, e contou com a presença do Secretário de Estado do Meio Ambiente, Rasca Rodrigues; do diretor de saneamento ambiental da Suderhsa, Jorge Callado; do chefe regional da Seab, Jânio Dalla Costa; do prefeito Beto Pugliese e proprietários rurais.