Região

MP pode intervir contra a dengue em Arapongas

Da Redação ·
Imagem Ilustrativa
fonte: Arquivo TN
Imagem Ilustrativa

A Prefeitura de Arapongas estuda levar donos de imóveis na cidade com criadouros do mosquito Aedes aegypti ao Ministério Público. A medida, segundo a coordenadora do Programa Municipal de Combate à Dengue, Aparecida de Oliveira, se deve às reincidências registradas pelos agentes durante vistorias no município.
“Noventa por cento dos focos de dengue que tínhamos no parque industrial foram resolvidos, mas estamos tendo problemas com residências. Só falar não está adiantando. Vamos conversar com a promotoria para ver o que pode ser feito”, relata.

continua após publicidade


Os bairros com a situação mais preocupante, conforme ela, são os jardins Santa Efigênia e Baronesa, na saída para Apucarana. “Nessa região, tivemos três casos positivos de dengue. Outras situações estão sendo investigadas”, comenta.


Além de 136 suspeitas da doença, o município contabiliza nove dos 11 casos de dengue confirmados desde o início do ano pela 16ª Regional de Saúde. “Registramos cinco casos importados e quatro autóctones. Os dois mais recentes são importados de Londrina e Manaus”, assinala a coordenadora.

continua após publicidade


De acordo com a chefe de Vigilância em Saúde da 16ª RS, Elizabete Sobreiro, casos de dengue chegaram a três dos 17 municípios de abrangência do órgão. “Além de Arapongas, Apucarana tem um caso e Mauá da Serra outro. Ainda estamos apurando se o de Mauá é importado ou não”, diz.


Ao todo, a regional possui 244 notificações distribuídas entre os municípios de Arapongas, Apucarana, Jandaia do Sul, Faxinal, Kaloré, Mauá da Serra, Marumbi, Novo Itacolomi e São Pedro do Ivaí.


No Paraná, segundo dados da Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), 12.703 suspeitas de dengue foram registradas neste ano, enquanto 2.193 casos confirmados. Três pessoas morreram.