Região

Dois acidentes em 4 dias na Minas Gerais

Da Redação ·
 Mesmo com multas, motoristas mantêm conversões irregulares na Minas Gerais
fonte: Sérgio Rodrigo
Mesmo com multas, motoristas mantêm conversões irregulares na Minas Gerais

Em um intervalo de menos de uma semana, a Avenida Minas Gerais foi palco de dois acidentes causados praticamente pelo mesmo motivo: as conversões à esquerda. Apesar de proibidas pela Polícia Rodoviária Federal (PRF) desde maio do ano passado, a prática continua indiscriminada. E a via, que é um trecho urbano da BR-369, deve demorar a receber medidas que coíbam os acidentes.

continua após publicidade


Na última sexta-feira, um motociclista morreu ao ser atingido por um veículo que teria desviado de um caminhão que invadiu a pista durante a manobra. Anteontem à noite, outro motoqueiro foi atingido na avenida.


O pintor José Carlos Félix, de 35 anos, trafegava no sentido centro-bairro, com um Ford Escort placas de Apucarana, quando parou no meio da pista para fazer conversão à esquerda e entrar na Rua Brasília. “Um carro que trafegava do lado da moto prejudicou a minha visão e quando dobrei com o Escort para a esquerda ocorreu a colisão. Sinceramente, não vi o motoqueiro”, admitiu o motorista.

continua após publicidade


O motociclista, Clodoaldo Correia Gasparoti, de 18 anos, foi jogado a cerca de 15 metros de distância da moto. Ele foi socorrido por Bombeiros e encaminhado ao Hospital da Providência. Ontem, ele permanecia internado no quarto em quadro clínico estável.


Formas de melhorar a segurança da Avenida Minas Gerais vem sendo discutidas desde 2008. Radares chegaram a ser instalados na via pela Prefeitura, mas desde maio de 2009, quando a PRF assumiu o policiamento das rodovias federais, o município deixou de ter autonomia para intervir na via.


Atualmente o município aguarda um pedido feito junto a PRF e ao Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (DNTI) para municipalizar a fiscalização do trecho. “Enquanto isso não sair estamos de mãos atadas”, afirma o gerente do Instituto de Desenvolvimento, Pesquisa e Planejamento de Apucarana (Idepplan) José Luís Alves Miguel, que estuda formas de resolver um novo nó no trânsito no local que deve se formar a partir da inauguração do Super Muffato, que está sendo construído na Avenida Minas Gerais. “Teremos que correr atrás de um convênio para pedir que a Viapar implante ali um semáforo para permitir essas conversões”, afirma.

continua após publicidade

Multas são diárias, diz PRF

continua após publicidade


O inspetor da PRF, Pedro Farias , afirma que a polícia está fiscalizando e multando motoristas que fazem a conversão irregular. Apesar de não saber precisar quantas notificações foram feitas neste ano, ele afirma que as multas são diárias. “Nossa política é cumprir rigorosamente a lei e as conversões, além de proibidas, são arriscadas. Segundo ele, uma comissão foi formada na PRF para avaliar o projeto de transição da avenida para o município.


Para ele, a saída para o problema seria implantar semáforos em alguns pontos da avenida para regular as conversões. O gerente do Idepplan, José Luiz Alves Miguel, pede que a população local dê o exemplo. “Sei que é até ingênuo pedir isso, mas se motorista de Apucarana andar no limite da velocidade inibiria os outros motoristas ”, acredita.


Quem trabalha na via, vê de perto e teme a imprudência alheia. A gerente de uma concessionária afirma que a empresa está até evitando usar o estacionamento externo por motivos de segurança. “Toda a hora vemos essas conversões”, afirma Lílian Melhado.