Região

Bombeiros salvam 147 pessoas no mar em 16 dias

Da Redação ·
O Corpo de Bombeiros fez 905 salvamentos e 14.064 atendimentos a pessoas com queimaduras - Foto: AEN
fonte: SECS
O Corpo de Bombeiros fez 905 salvamentos e 14.064 atendimentos a pessoas com queimaduras - Foto: AEN

No Dia do Guarda-Vidas, comemorado ontem, os bombeiros da Polícia Militar do Paraná divulgaram os resultados do trabalho destes profissionais, na costa leste, desde o início da Operação Viva o Verão 2010/2011, em 11 de dezembro. Até agora foram 147 salvamentos no litoral paranaense. Isso significa que todas essas pessoas tiveram atendimento rápido dos guarda-vidas, que os retiraram do mar, evitando consequências mais graves.

continua após publicidade

Nesta temporada, os 700 bombeiros em atuação no litoral estão presentes em 105 postos de guarda-vidas na orla marítima, e se mantêm atentos a situações adversas para, se necessário, realizar buscas, salvamentos e outros serviços terrestres como combate a incêndio. Também fazem trabalhos de prevenção que incluem orientações e advertências. Apenas no período de 17 dias de trabalho foram prestados 20.329 esclarecimentos, sendo 9.246 orientações e 11.083 advertências.

continua após publicidade

“O corpo de bombeiros faz diversos salvamentos na praia, muitos deles simples, ou seja, aqueles em que avítima sai sem maiores problemas, sem dificuldades respiratórias, mas há casos de afogamentos que vão do grau 1 ao grau 6, e cada um deles reflete certa gravidade”, disse o porta-voz do Corpo do Bombeiros do Paraná, capitão Leonardo Mendes dos Santos.

continua após publicidade

O grau 1 é determinado pela tosse simples. Os outros graus dependem da gravidade do afogamento. O 6 é quando a vítima sofre parada cardiorespiratória ainda com possibilidade de reversão. Nenhuma queimadura por água viva foi registrada até o momento.

Outros serviços também foram prestados neste período como o atendimento a 17 crianças que se encontraram perdidas na praia, e 1.886 trabalhos de prevenção. Com todo este esforço do Corpo de Bombeiros para prevenir afogamentos, até o momento, desde que começou a Operação Viva o Verão, foram registradas quatro mortes no litoral.

continua após publicidade

“As mortes foram por afogamento ou por complicações pós-episódios de afogamento, isso já no ambiente hospitalar. Isto significa que algumas foram em regiões não protegidas, não assistidas pelo Corpo de Bombeiros em que não existiam guarda-vidas na região”, afirma Santos.

continua após publicidade

Um dos casos aconteceu de manhã, em horário que não havia guarda-vidas no posto, o que contraria as advertências e orientações do Corpo de Bombeiros. “As pessoas devem buscar horários específicos para o banho de mar, que seja das 8h da manhã até às 20h, e em locais protegidos e locais assistidos”, informa o capitão Leonardo.

continua após publicidade

FERIADO – Entre os dias 24 e 26 de dezembro, os bombeiros fizeram 70 salvamentos, 12.135 advertências e/ou orientações, e registraram uma morte. Também, neste período, auxiliaram oito crianças perdidas.

O Corpo de Bombeiros do Paraná conta com infraestrutura adequada, bem como qualidade dos equipamentos disponíveis. O helicóptero da Polícia Militar e jetskis, por exemplo, são usados para auxiliar os bombeiros nas buscas e salvamentos.

continua após publicidade

ORIENTAÇÕES - O Corpo de Bombeiros ressalta a importância das pessoas seguirem as orientações prestadas ao entrar no mar ou em rios. Banhar-se em locais onde existam postos de guarda-vidas, por exemplo, pode ajudar na prevenção de acidentes graves. Além disso, é importante que a população respeite as placas de advertência colocadas em locais onde há risco de afogamentos, que são escolhidos conforme as condições do mar, a intensidade dos ventos, e outras adversidades.

Aos pais, a orientação é para que peguem com um bombeiro a pulseira para identificar a criança, pois caso ela se perca, com as informações da pulseira, é possível acionar a central e a Polícia Militar, facilitando a localização por parte dos pais ou responsáveis. Em caso de outros acidentes, como por exemplo, queimaduras por água-viva, os bombeiros fazem os primeiros socorros e encaminham a criança para locais adequados para o atendimento.

O Corpo de Bombeiros também orienta para que as pessoas que presenciem um afogamento, chamem o socorro especializado por meio do telefone 193. “Uma ambulância do Siate se desloca para o local e caso perceba que a pessoa não tem movimento respiratório nem batimento cardíaco inicia massagem cardíaca, sem se preocupar, em um primeiro momento, com quantidade e eficiência, tentando manter um certo bombeamento até que uma equipe do socorro chegue e possa assumir a situação com maior possibilidade de reversão da parada cardiorespiratória”, disse o capitão Leonardo.