Região

Ruas esburacadas geram protesto em Apucarana

Da Redação ·
 Estudantes protestam com adesivos: bom humor
fonte: Sérgio Rodrigo
Estudantes protestam com adesivos: bom humor

Queimar pneus, plantar bananeiras ou outra árvore qualquer, instalar varas de pesca ou, ainda, espantalhos. Em uma cidade com um problema crônico de manutenção de vias, as formas protestar contra os buracos são variadas. O bom humor é o mote da nova campanha que circula pelas ruas da cidade. Tomando conta dos vidros traseiros, adesivos com os dizeres ‘Ame Apucarana, adote um buraco’ chamam atenção no trânsito.

continua após publicidade


O movimento, que tem inclusive comunidade no Orkut, foi a forma que um grupo de estudantes da cidade adotou para protestar. “Cansamos de tanto entortar rodas e quebrar suspensão na cidade e, por brincadeira, resolvemos fazer os adesivos”, conta o estudante Maycon Vinícius de Souza, 19 anos.


Segundo ele, o primeiro lote foi de 50 adesivos. E pela aceitação dos motoristas, diz o estudante, novos devem vir por aí. “Um monte de gente pergunta onde comprei (o adesivo), pede para arrumar um”, afirma.

continua após publicidade


O protesto pode ser bem humorado, mas o assunto é sério. Que o digam os moradores que enfrentam todos os dias as crateras no seu caminho de casa.


Gerente de um supermercado no Jardim Interlagos, Gilson Carlos enfrenta os buracos no trabalho e em casa. O Interlagos é um dos bairros com a malha mais deteriorada.


“Fazer entregas no bairro é complicado, tem lugar que o asfalto sumiu”, afirma ele, que mora no Jardim Catuaí. “Perto da minha casa também está uma buraqueira”, reclama.

continua após publicidade


Levantamento da própria secretaria de Obras e Infraestrutura da Prefeitura, aponta que dos 425 km da malha asfaltada da cidade, pelo menos 40% necessitam de algum tipo de intervenção.


Segundo o secretário Herivelto Moreno, para recuperar essa malha seriam necessários mais de R$ 3 milhões em obras de tapa-buraco. Intervenções mais duradouras, como o recape, consumiriam, segundo ele, R$ 30 milhões. Dinheiro que atualmente a Prefeitura não tem em caixa.

continua após publicidade

Prioridade para 2011

continua após publicidade


O prefeito João Carlos de Oliveira (PMDB) se justifica afirmando que o problema de conservação das ruas de Apucarana é histórico. Segundo ele, neste ano cerca de R$ 3,5 milhões foram investidos em obras de recuperação asfáltica.


Asfalto, segundo ele, deve ser a prioridade para o próximo ano. “Já temos a situação mapeada e, a partir de fevereiro, quando as chuvas diminuírem vamos investir firma nisso”, afirma.


O prefeito afirma que vai investir pelo menos R$ 5 milhões em obras de recuperação. O dinheiro, segundo ele, deve vir do repasse municipal do IPVA. O município também aguarda a liberação de um projeto junto ao Paraná Urbano de R$ 1 milhão e tem esperança na liberação de recursos via emendas parlamentares.


A própria prefeitura admite, entretanto, que várias regiões da cidade devem continuar sofrendo com o problema, uma vez que parte substancial das vias não têm galerias pluviais. Uma parcela significativa da malha, cerca de 120 km, também não tem nem asfalto, o que também exige investimentos no setor. l A.S.