Região

Senac inaugura nova escola em Apucarana

Da Redação ·
Presidente da Fecomércio Darci Piana, prefeito João Carlos e o diretor do Senac regional Vitor Monastier  participaram da inauguração
fonte: André Henrique Veronez
Presidente da Fecomércio Darci Piana, prefeito João Carlos e o diretor do Senac regional Vitor Monastier participaram da inauguração

O Sistema Fecomércio Sesc Senac inaugurou nesta sexta-feira (05), um novo Centro de Educação Profissional (CEP) do Senac em Apucarana, que irá atender às demandas em educação profissional específicas da região. Localizada na Rua Gastão Vidigal, 185, no bairro Jaboti, a nova escola possui infraestrutura moderna e capacidade para 1.200 alunos por dia.



“O novo Senac vai contribuir também para a economia, pois o reflexo de uma escola profissionalizante é mais emprego, mais produtividade, maior renda e, principalmente, mais qualidade de vida para nossa população. O ensino profissionalizante é o caminho mais curto e o mais adequado para atingir o mercado de trabalho com qualidade”, destaca o prefeito de Apucarana, João Carlos de Oliveira (PMDB).


Alicerçado em terreno de 11,3 mil metros quadrados doado pela Prefeitura de Apucarana e com 2.340 m² de área construída, o novo CEP tem ambientes pedagógicos que incluem instituto de beleza-escola, biblioteca, laboratório de enfermagem, dois laboratórios de informática, cozinha pedagógica, lanchonete, nove salas de aula convencionais, auditório para 120 pessoas, além do setor administrativo.


O valor total do investimento foi de R$6 milhões. Destes, R$ 4,8 milhões foram destinados para a construção do prédio, R$ 1 milhão em mobiliários, equipamentos, acervo e utensílios e ainda R$125 mil em equipamentos de informática. A área de abrangência da escola inclui 14 municípios, o que engloba uma população estimada em 340 mil pessoas, que serão beneficiadas com os cursos oferecidos.


De acordo com o diretor regional do Senac Paraná, Vitor Monastier, a arquitetura da escola foi projetada especificamente para a capacitação profissional, o que confere maior efetividade no aprendizado do alunos. O prédio atende aos três princípios essenciais de um espaço voltado à atividade pedagógica, que são conforto térmico, acústico e iluminação. “Trata-se de mais uma escola, mais um passo dado pelo Sistema Fecomércio Sesc Senac, que entrega a Apucarana e região uma estrutura completa para a aprendizagem comercial. Com isso, nivela a qualidade de ensino no interior do Estado a um patamar semelhante ao de grandes centros, difundindo a capacitação profissional aos trabalhadores de todo o Paraná, sem qualquer distinção”, afirma Monastier.


A escola funcionará nos três turnos e oferecerá ensino profissionalizante nas modalidades de capacitação, aperfeiçoamento e cursos técnicos de nível médio. Serão coordenadas ações de apoio direto aos empresários do comércio de bens, serviços e turismo com os projetos Senac na Empresa e Programa Senac de Aprendizagem. Este último, permitirá às empresas cumprirem com a legislação trabalhista e ainda contribuírem com a questão social, ao proporcionar aos jovens a oportunidade do primeiro emprego e construção de uma carreira.


No Centro de Educação Profissional também irá funcionar o Programa Senac de Gratuidade (PSG), que oferece cursos gratuitos voltados para a qualificação e inclusão social de pessoas de baixa renda. “A população espera, de longa data, por esta escola do Senac, pela real necessidade de qualificação profissional que o município e a região apresentam. Essa obra representa uma oportunidade de crescimento aos empresários e também aos trabalhadores, que poderão ampliar sua renda, fazendo brotar o crescimento em suas vidas”, destaca o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Apucarana (Sivana), Luiz Fernando Mamede Mendes, que acompanhou de perto cada etapa da construção, como presidente da Comissão de Obras.



Em sintonia com a evolução dos mercados, o Senac inova em equipamentos, metodologia e material didático. A Lanchonete-escola e o Instituto de Beleza-escola (Inbel) são empresas pedagógicas, que proporcionarão aos alunos experiências práticas da profissão, sempre orientados por instrutores.



Segundo o presidente do Sistema Fecomércio Sesc Senac, Darci Piana, o processo construtivo do Senac não se limita à entrega da obra. Ela vai continuar, incessantemente, a cada profissional qualificado. “A magnitude desta escola vai além de sua estrutura. Ela toma proporções infinitas, diante do potencial de cada aluno que, no Senac, se transformará em um profissional, com conhecimentos e habilidades para o exercício de atividades produtivas. Apucarana e região serão protagonistas de um novo tempo de prosperidade, alavancada pelo ensino profissionalizante”, completa.



A conquista – Por pouco Apucarana não perdeu o investimento. A notícia de que o SENAC construiria um centro educacional na cidade foi confirmada à mídia em 26 de março de 2006. A princípio o local para edificação seria em terreno na Rua Clotário Portugal (antiga instalação da Casa Portugal), que foi gentilmente doado pela colônia portuguesa. Em uma carta de intenções assinada no dia seguinte, ficou oficializada uma parceria entre o Município de Apucarana, Senac e a Secretaria de Estado do Meio Ambiente (SEMA), dando todo o suporte ao projeto de preservação ecológica do terreno, cujas proximidades abriga nascente do Rio Pirapó.



Os impasses que impediram a obra no local tiveram início já no dia 29 de março, quando a Promotoria de Defesa do Meio Ambiente de Apucarana encaminhou ofício ao então prefeito, fazendo uma série de questionamentos em relação à construção. A resposta é dada rapidamente, sendo encaminhada em forma de ofício no dia 06 de abril. Nele, a administração municipal assegura que está tudo sendo conduzido dentro da lei, obedecendo às normas do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) e garantiu a preservação da nascente do Pirapó, inclusive, implantando no local o Monumento das Águas.


A partir daí inicia-se uma “guerra de laudos” – positivos e negativos à obra - e até audiência pública sobre o assunto é promovida. Com o passar do tempo, permanece a indefinição sobre a possibilidade da construção naquele terreno e, somado ao risco da perda do financiamento já aprovado para a obra, em 10 de maio de 2007 o Senac exige solução para o impasse e cogita mudar o lugar da construção da nova sede. Neste mesmo cenário, a Suderhsa defende a obra e “considera atitude hipócrita daqueles que defendem a conservação da área a partir de agora já que muitas outras construções foram feitas de forma irregular”.



No dia 23 de maio de 2007 é a Câmara Municipal de Apucarana que sai em defesa da obra. Irredutível, no dia 02 de junho de 2007 o MP oficializa posição contra obra e o promotor recomenda à prefeitura e ao SENAC que nenhum tipo de edificação seja construída no local.


A nova e definitiva área para abrigar o Centro de Educação Profissional do SENAC em Apucarana é anunciada no dia 29 de outubro de 2007, com a doação do terreno de 11,3 mil metros quadrados pela Prefeitura de Apucarana, na região do Parque Municipal Jaboti. A partir daí, foi necessário reformulação do projeto arquitetônico inicial, aprovação da doação do terreno por parte da Câmara de Vereadores, transferência da área escriturada para o SENAC, entre outras ações, que culminaram na assinatura da ordem de serviço para a obra, no dia 15 de abril de 2009.

continua após publicidade