Região

Condenada por envenenar e matar criança é transferida de Apucarana

Da Redação ·
 tinha direito a benefício da lei de progressão para prisão em regime semi-aberto
fonte: Sérgio Rodrigo
tinha direito a benefício da lei de progressão para prisão em regime semi-aberto

A auxiliar de laboratório Silmara de Castro Santana, de 29 anos, condenada pelo envenenamento e morte de Gustavo Henrique Vogler Ribeiro, de 4 anos, foi transferida na terça-feira (19) para uma unidade prisional em Curitiba, confirmou o juiz titular da Vara Criminal da Comarca de Apucarana, Katsujo Nakadomari. Segundo o magistrado, ela tinha direito a benefício da lei, com progressão de regime para prisão em semi-aberto. Silmara  foi condenada a 36 anos de prisão, em júri histórico realizado na Comarca de Apucarana.

continua após publicidade

O juiz detalhou que Silmara foi transferida para o Centro de Regime Semi-Aberto Feminino (Craf), em Curitiba.

continua após publicidade

"Apucarana não dispõe de estrutura para cumprimento de pena em regime semiaberto. Por essa razão a Silmara foi transferida para Curitiba", explicou Nakadomari.

continua após publicidade

Em outubro de 2004 Silmara mandou um achocolatado com raticida à escola de Gustavo. Ele ingeriu o p´roduto e morreu horas mais tarde. A auxiliar de laboratório ainda enviou uma cesta matinal com veneno para a mãe do garoto, Ivanira de Freitas Vogler, que na época trabalhava no Hospital Santa Helena.

Silmara revelou  que mantinha um relacionamento extraconjugal com o pai da criança e teria ficado frustrada com o fim da relação