Após morte de bailarina, Maringá terá ato de repúdio ao feminicídio - TNOnline
Mais lidas
Ver todos

Região

Após morte de bailarina, Maringá terá ato de repúdio ao feminicídio

Foto por
Escrito por Redação
Publicado em Editado em
Associe sua marca ao jornalismo sério e de credibilidade, .

Além da comoção social, a morte da bailarina Maria Glória Poltronieri Borges, de 25 anos, assassinada próximo a uma cachoeira de Mandaguari, tem causado revolta, principalmente entre mulheres. Nesta segunda-feira, 27, começou a ser organizado um ato de repúdio ao feminicídio, que deve ocorrer no próximo sábado, 1º, em Maringá.

A manifestação, segundo a própria organização, é autônoma e repudia a violência de gênero, além de lembrar “aquelas que morreram por serem mulheres”.

Em menos de 24 horas, mais de 700 pessoas já haviam confirmado presença no ato e outras 900 demonstraram interesse.

Nesta quarta-feira, 29, os manifestantes pretendem se reunir para planejar o ato. A reunião está marcada para às 18h, embaixo do Restaurante Popular de Maringá (localizado na Rua Professor Lauro Eduardo Werneck, 500, Zona 7).

A concentração para a manifestação será feita na Praça Renato Celidônio, a praça da Prefeitura de Maringá, a partir das 16h do sábado.

Morte da bailarina

Maria Glória Poltronieri Borges foi encontrada morta na tarde de domingo, 26, próximo a uma cachoeira de Mandaguari. Mago, como era chamada por familiares e amigos, foi ao local no sábado, 25, para acampar.

A Polícia Civil investiga o caso e já tem fotos de pessoas que passaram pela cachoeira no fim de semana. Os investigadores trabalham agora para tentar identificar essas pessoas e ouvi-lás.

“Nós já temos fotos de pessoas que estiveram com ela e agora essas pessoas precisam ser ouvidas. Elas são peça chave pra gente avançar nas investigações”, disse o delegado Diego de Almeida, de Maringá.

A Polícia Civil de Mandaguari juntou forças com equipes de Maringá para acelerar a investigação e chegar mais rápido ao autor, ou autores, do crime. O delegado, inclusive, não descarta a possibilidade de mais de uma pessoa ter envolvimento na morte de Maria Glória.

Por, Portal GMC

Gostou desta matéria? Compartilhe!

Deixe seu comentário sobre: "Após morte de bailarina, Maringá terá ato de repúdio ao feminicídio"

O portal TNOnline.com.br não se responsabiliza pelos comentários, opiniões, depoimentos, mensagens ou qualquer outro tipo de conteúdo. Seu comentário passará por um filtro de moderação. O portal TNOnline.com.br não se obriga a publicar caso não esteja de acordo com a política de privacidade do site. Leia aqui o termo de uso e responsabilidade.

Todos os candidatos

Não encontramos candidatos com o filtro selecionado.