Região

Paraná busca a autossuficiência no transplante de medula óssea

Da Redação ·
 O governador Orlando Pessuti e o secretário da Saúde, Carlos Moreira Júnior, anunciaram nesta quinta-feira (30), no Hospital Universitário de Londrina, o primeiro transplante de medula óssea realizado na cidad
fonte: AEN
O governador Orlando Pessuti e o secretário da Saúde, Carlos Moreira Júnior, anunciaram nesta quinta-feira (30), no Hospital Universitário de Londrina, o primeiro transplante de medula óssea realizado na cidad

O governador Orlando Pessuti e o secretário da Saúde, Carlos Moreira Júnior, anunciaram nesta quinta-feira (30), no Hospital Universitário de Londrina, o primeiro transplante de medula óssea realizado na cidade. Eles visitaram a paciente que se recupera no hospital.
 

continua após publicidade

A Unidade de Transplante de Medula Óssea do Hospital Universitário de Londrina recebeu o credenciamento do Ministério da Saúde no dia 25 de agosto, após receber recursos do Governo do Estado no valor de R$ 1 milhão, e realizou o primeiro transplante no dia 13 de setembro. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, a cada 10 milhões de habitantes devem ser realizados cerca de 200 transplantes de medula óssea. Desde o início deste ano já foram realizados no Paraná 139 transplantes.
 

Para o governador, a Unidade de Transplante de Medula Óssea é um dos destaques da interiorização da saúde, principalmente nos procedimentos de alta complexidade. “Os pacientes que precisam passar por este tipo de procedimento agora podem fazer perto de casa, da família. Os investimentos que aqui fizemos simbolizam todos os investimentos nos hospitais públicos”, ressaltou.
 

continua após publicidade

Moreira ressaltou que o Paraná vai avançar ainda mais na área de transplante, inclusive com novos credenciamentos para o Hospital de Londrina. “Com o credenciamento desta unidade estamos perto do número que é considerado o ideal para medula óssea. Além disso, o Hospital Universitário de Maringá também está buscando o credenciamento para este tipo de transplante. O HU de Londrina em breve realizará transplantes de córnea”, afirmou o secretário.
 

Na unidade de Londrina, outros dois pacientes já estão fazendo os exames e deverão fazer o transplante no mês de outubro.
 

A superintendente do Hospital Universitário, Margarida Carvalho, ressalta que o hospital tem recebido muitos investimentos nos últimos anos, como o Centro de Tratamento de Queimados e a reforma do Pronto-Socorro. “Outras obras estão em andamento, como a ampliação da UTI Adulto e a construção de um prédio próprio para a UTI neonatal e para a Unidade de Cuidados Intermediários (UCI) neonatal”, explica. A UTI neonatal passará de sete para 14 leitos e a UCI de 10 para 24 leitos. Já a UTI Adulto passará de 17 para 27 leitos.
 

RECUPERAÇÃO – A paciente transplantada no dia 13 de setembro tem 60 anos e mora em Cornélio Procópio. Ela ainda está se recuperando na Unidade e deve ter alta nos próximos 15 dias. “A paciente se recupera muito bem. O tempo de internação é longo porque o procedimento tem várias fases e precisamos nos certificar que tudo ocorreu dentro do esperado”, explica a coordenadora da unidade, Leticia Gordan Martins.