Região

Curitiba já atende 92% da população com saneamento, maior índice entre as capitais

Da Redação ·
Requião critica Richa e defende Arruda (Foto: Arquivo)
fonte: José Gomercindo - AEN
Requião critica Richa e defende Arruda (Foto: Arquivo)

O governador Roberto Requião inaugurou nesta quarta-feira (3) as obras de ampliação do sistema de esgotos sanitários de Curitiba, Araucária e São José dos Pinhais, e a implantação do sistema em Campo Magro. São R$ 78,5 milhões em investimentos, que beneficiam mais de 200 mil pessoas. “Com este projeto, Curitiba atinge o índice de 92% da população com coleta e tratamento de esgoto. É o mais alto índice dentre todas as capitais. Vamos chegar a 94% até o fim deste ano”, afirmou Requião.

Na capital, as novas obras beneficiam mais 8.416 casas, nos bairros São Braz, Santa Felicidade, Botiatuvinha, Pilarzinho e Cidade Industrial. Foram R$ 48,5 milhões em investimentos, com 147 quilômetros de extensão de rede na região Norte. “Esta é a mais moderna estação de tratamento do País, construída a partir de orientações do Conama, IAP, Sudersha para garantirmos eficiência e proteção do meio ambiente. Falta apenas complementá-la com a produção de energia a partir do gás metano”, disse o presidente da Sanepar, Stênio Jacob.

O projeto foi desenvolvido em parceria com a Agência de Cooperação Internacional do Japão (Jica), em mais uma parcela dos projetos financiados com empréstimos junto ao governo japonês. Com os recursos, foram implantados os sistemas de coleta e tratamento do esgoto no Litoral do Paraná – Matinhos, Guaratuba, Guaraqueçaba, Morretes e Pontal do Paraná – e construida a barragem Piraquara II. Entregues nos últimos dois anos, as obras, possibilitaram a melhoria da qualidade dos balneários do Estado e afastaram a ameaça do racionamento para a região da Grande Curitiba.

Segundo o representante chefe da Jica, Katsuhiko Haga, a parceria entre os governos paranaense e japonês já garantiu para a Sanepar R$ 470 milhões. Os recursos foram empregados na construção e instalação de sete estações de tratamento de esgoto, 35 reservatórios, 170 quilômetros de adutoras, 403 quilômetros de redes de distribuição de água e 23 estações de tratamento de esgoto.

"Esses investimentos são o reflexo de uma boa relação entre os dois países e da preocupação do Japão em ajudar na melhoria da qualidade de vida dos brasileiros e paranaenses, com água limpa e tratada. Curitiba é famosa por sua qualidade de vida e, agora terá um sistema de saneamento exemplar. A Jica quer continuar essa parceria com o Paraná no desenvolvimento de projetos que visem o bem estar da população, aliados a preservação do meio ambiente”, disse Katsuhiko Haga.

O diretor do Departamento de Água e Esgoto do Ministério das Cidades, Márcio Galvão, destacou que os investimentos do Paraná em saneamento são exemplo para o Brasil. “Essa importante parceria entre o Paraná e outras entidades de fomento, como a Jica, mostra a criatividade de um Estado preocupado com a população, de um Estado que não fica preso aos recursos do Governo Federal. O Paraná tem uma gestão que fortalece a Sanepar, e dá exemplo de como melhor investir. Os esforços do Governo Federal se somam a esta iniciativa, na busca pela universalização do saneamento básico”, afirmou.

Não é apenas em Curitiba que o Paraná se destaca no saneamento básico. Em todo o Estado, o índice médio de coleta e tratamento de esgoto chegou a 60% no ano passado – o melhor do País. Para Stênio Jacob, este resultado é fruto de uma forte política estadual que já investiu, entre 2003 a 2009, R$ 2,4 bilhões, no maior programa de execução de obras já realizado no setor na história do Estado. Na Região Metropolitana de Curitiba, são R$ 1,67 bilhão em investimentos e, na capital, R$ 567 milhões.

“Isso é possível porque a Sanepar é uma empresa pública, que não privilegia os mais ricos e amplia seus atendimentos aos mais carentes. Estes índices mostram que o Paraná está atendendo a população mais carente, em bairros mais pobres, onde a demanda por saneamento é maior”, ressaltou Stênio.

RMC – São José dos Pinhais ganhou 5.477 ligações prediais, com investimentos de quase R$ 21 milhões. A rede de 84 quilômetros de extensão vai atender os bairros de Planta Paraná, Jardim Suíça, Quississana e Aristocrata. Com isso, o índice de coleta e tratamento de esgoto no município sobe de 39% para 60%.

Em Araucária, são 1.225 novas casas ligadas à rede, nos bairros de Fazenda Velha, Boqueirão, Estação, Porto Laranjeiras, Vila Nova e parte do Centro, compreendendo mais de 31 quilômetros de extensão da tubulação. O índice de atendimento da população com sistema de esgoto sanitário sobe de 29% para 40%.

Já o município de Campo Magro ganhou o primeiro trecho de rede de esgoto no mesmo conjunto de obras, atingindo índice de 10% de coleta e tratamento de esgoto. São beneficiadas 1.006 casas do bairro Jardim Boa Vista. O projeto compreendeu 19 quilômetros de tubulações, R$ 4,3 milhões em recursos.

CRÍTICA – O governador Requião criticou o processo pelo qual eram feitas as obras de parceria entre Sanepar e a Jica antes de assumir o Governo do Estado, em 2003. “A Sanepar antiga, na mão do grupo privado, havia feito uma pré-qualificação de empreiteiros. Três podiam participar da licitação das obras, com preços absurdos. Discuti muito com o embaixador do Japão, mas com determinação e força, quebrei o acordo inicial e abri licitação para empreiteiros. Os três pré-qualificados não conseguiram entrar porque os preços eram absurdos e a qualificação técnica era igual à dos outros quinze que fizeram as obras. Fizemos o dobro de obras com o mesmo dinheiro do que faríamos com sistema anterior”, afirmou.

continua após publicidade