Região

Bombeiros visitam bebê após parto no pátio da guarnição

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia Bombeiros visitam bebê após parto no pátio da guarnição
Bombeiros visitam bebê após parto no pátio da guarnição

No domingo (29), três socorristas do Corpo de Bombeiros de Ivaiporã se preparavam para sair do plantão, por volta das 7h30 quando foram surpreendidos com a chegada  de uma parturiente em trabalho de parto. A mãe Camila da Silva Marcondes  chegou a guarnição já com a bolsa rompida, e a menina Emili Marcondes de Inácio nasceu sob os cuidados dos socorristas dentro da viatura de resgate no pátio da guarnição. Anteontem, após alta
do hospital cabo Júlio Cezar Bento, e os soldados Osmar Benedito de Oliveira e Claudinei Cavalcanti Rodrigues Junior realizaram uma visita a criança na Vila Nova Porã.

continua após publicidade

Camila se mostrava bastante emocionada com o reencontro e relatou que será eternamente grata aos militares por ter sido bem atendida no dia em que mais precisou da ajuda do Corpo de Bombeiros. “Agradeço e muito, me acalmaram, acudiram ela com muito carinho. Trataram a gente muito
bem, enrolaram a Emili com cobertinha nos levaram ao hospital. Foram humanos e profissionais”, agradece.

A mãe relata que havia passado o final de semana em um sitio na localidade de Severiano, no distrito do Jacutinga. “Por volta das 4 horas comecei a sentir dor, como já tinha tido cólica antes achei que era mais uma. Lá pelas seis começou a realmente doer, meu marido (Alessandro) pegou a camionete e estávamos indo para o hospital, quando a bolsa rompeu. Foi o tempo de chegar nos Bombeiros, o Alessandro abrir a porta da camionete para pedir ajuda. Mas a Emili não esperou e começou a nascer ali mesmo”, relata
Camila.

continua após publicidade

Cabo Bento relata que este foi o terceiro parto que auxiliou, no entanto, a emoção foi a mesma que da primeira vez. “A princípio pensamos levaríamos a mãe para o hospital. Mas a criança já estava coroando, vimos que não daria tempo e fizemos o parto ali mesmo na viatura. Depois do parto, foi um alívio ver que mãe e bebê estava bem”. 

Segundo o soldado Osmar que também já havia participado de outros três partos, diz que dessa vez foi diferente. “Pegou a gente de surpresa. Quando saímos do quartel já sabendo para onde vamos e qual o tipo de ocorrência, a cabeça já faz toda aquela programação de como será feito o procedimento. Nesse caso, a gente estava ali e de repente a situação aparece, não havia tempo para pensar, tínhamos que agir”.  

Para o soldado Junior que participou do primeiro parto diz que estava acostumado a operações onde geralmente as situações são de riscos de vida. “Apesar de estar preparado para situações como essa deu um friozinho na barriga. Posso garantir é muito emocionante participar da chegada de mais uma vida”