Região

Governo garante R$ 3 mi para Centro de Especialidades de Ivaiporã

Da Redação ·
Centro será construído em terreno doado pela prefeitura
Centro será construído em terreno doado pela prefeitura

A Secretaria de Saúde (Sesa) confirmou a liberação de recursos para a construção do Centro Regional de Especialidades do Consórcio Intermunicipal de Saúde 22ª Regional de Ivaiporã (CIS). Estão sendo disponibilizados pelo governo do estado R$ 3 milhões para a construção da obra. A unidade vai atender a população dos 14 municípios da 22ª RS.

continua após publicidade

Segundo Clodoaldo Fernandes, prefeito de Nova Tebas e presidente do CIS, os Centros de Especialidades fazem parte de uma estratégia importante da Secretaria de Saúde do Paraná à atenção secundária. Sob responsabilidade dos consórcios intermunicipais de saúde, a unidade ofertará atendimento com equipe multiprofissional. 
“O Centro de Especialidades irá proporcionar à população de Ivaiporã e das cidades vizinhas vários tipos de atendimentos na saúde pública com maior conforto, segurança e qualidade num local mais adequado e moderno” enfatiza Fernandes. 
De acordo com o prefeito de Ivaiporã, Miguel Roberto do Amaral (PSDB), para a construção da unidade, o terreno que será doado pela Prefeitura de Ivaiporã ao CIS tem área de 4.813m². O imóvel está localizado na Rua Augusto Urbanski, ao lado do 38ª Ciretran. 
O projeto está sendo preparado e, segundo o prefeito, terá pelo menos 1,5 mil metros² de área construída. “Hoje, a maioria dos atendimentos ofertados pelas prefeituras da região é com especialistas de cidades distantes. Com o centro, vamos reduzir o tempo de espera por exames”, assinala. 
O prefeito de Godoy Moreira, José Gonçalves (PSDB) destaca as conquistas da saúde regional junto ao Governo do Estado. “A regional tem avançado muita nesta área, tanto que recentemente o governador autorizou a construção do Hospital Regional”, lembra.
Gonçalves destaca ainda a importância do centro para a região. “O objetivo dos gestores é zerar as filas de espera e isso será possível. Hoje a população necessita urgentemente de uma unidade como esta, pois são atendidos em grandes centros, como Curitiba, Arapongas e Londrina”, completa José Gonçalves.