Região

Região tem mais de duas mil vacinas contra o vírus HPV prestes a vencer

Da Redação ·
Regional de Saúde tem quase duas mil doses que vencem no final do mês | Foto: Delair Garcia
Regional de Saúde tem quase duas mil doses que vencem no final do mês | Foto: Delair Garcia

Disponível na rede pública desde 2014, a vacina contra o HPV ainda enfrenta resistência da população. No Paraná, a média de imunização é de 50%, número bem abaixo quando comparado com outras campanhas como da gripe, que atinge facilmente a meta de 80%. Deste anteontem, o Ministério da Saúde (MS) ampliou a faixa etária do público que pode receber a imunização. A medida, que passou a beneficiar também pessoas com idade entre 15 a 26 anos, tem por finalidade evitar a perda de milhares de doses, que estão prestes a vencer.

continua após publicidade

Regional de Saúde tem quase duas mil doses que vencem no final do mês | Foto: Delair GarciaSomente no estoque de vacinas da 16ª Regional de Saúde (RS), de Apucarana, um lote de imunizantes contra o HPV, com 1.953 doses, vence no próximo domingo, dia 27. Outras 577 doses da vacina vencem dia nove de fevereiro de 2018. Na Autarquia Municipal de Apucarana (AMS), 350 doses do imunizante também vencem no próximo domingo. 

O número total de doses a vencer é maior na região, uma vez que os municípios são os responsáveis por fazer o controle dos dados. Caso não haja procura, o prejuízo será de aproximadamente R$ 100 mil, contabilizando somente as doses que estão na 16ª Regional de Saúde e na Autarquia de Apucarana, além de não cumprir o objetivo, que é a prevenção. 

continua após publicidade

Cada dose da vacina custou ao Ministério da Saúde (MS), R$42,30. Nos novos lotes do imunizante, o MS tem pago R$43,02 a dose. Na rede particular, a dose da vacina quadrivalente contra o HPV custa cerca de R$ 400 em Apucarana.O enfermeiro coordenador de Epidemiologia, da AMS, de Apucarana, Luciano Pereira da Silva, explica que a vacina contra o HPV é segura e protege contra os cânceres de colo de útero, que atualmente é o terceiro mais comum entre mulheres, de garganta, pênis e ânus. Além disso, o imunizante previne mais de 98% das verrugas genitais.

“Há procura é baixa entre crianças e adolescentes, mas o público adulto, já pudemos perceber, que tem um interesse maior. Algumas pessoas, inclusive, já estão ligando para se informar e também têm ido até às unidades de saúde”, diz.De acordo com Silva, algumas ações são elaboradas para conseguir atingir o público-alvo e, consequentemente, evitar o desperdício das doses. “Na próxima sexta-feira, uma equipe da Saúde estará na Universidade Tecnológica Federal do Paraná, para fazer a imunização dos alunos e também a conscientização”, frisa.

Medida do MS é temporáriaO enfermeiro coordenador de Epidemiologia, da AMS, de Apucarana, Luciano Pereira da Silva, lembra, que além do público-alvo, pessoas que vivem com HIV/Aids, em tratamento de câncer ou transplantados também têm direito à vacinação contra o HPV. “Somente gestantes, dentro da faixa etária estabelecida, não podem tomar o imunizante. Já se estiver amamentando, a mulher pode tomar normalmente a vacina”, diz.

Mantida com duas doses
A vacina contra o HPV continua para o público-alvo, que é para meninos na faixa etária de 11 a 13 anos e meninas de 9 a 14 anos, e deve ser mantida com duas doses. “Após a primeira aplicação, a criança ou adolescente deve receber a segunda dose após seis meses. Só após a duas doses, o ciclo de proteção é considerado completo. Já para as pessoas, acima de 15 anos, são três doses”, diz.Após o fim dos estoques que estão prestes a vencer, a orientação do Ministério da Saúde é que a vacina continue sendo administrada apenas no público-alvo (9 a 15 anos), ou seja,  a ampliação é temporária.