Região

Sestran cadastra empresas de segurança privada em Arapongas

Da Redação ·
 SESTRAN se reuniu nesta quarta-feira com representantes das empresas de segurança privada que operam no município
fonte: Divulgação
SESTRAN se reuniu nesta quarta-feira com representantes das empresas de segurança privada que operam no município

A Secretaria de Segurança Pública e Trânsito - SESTRAN e o Departamento de Fiscalização da prefeitura de Arapongas reuniram-se recentemente com representantes das empresas de segurança privada que operam no município, visando efetuar seu cadastramento.

continua após publicidade

Segundo o Major Arnaldo, Arapongas conta atualmente com 8 empresas de segurança privada e o objetivo da reunião foi verificar sua legalidade e se possuem a documentação necessária expedida pelos órgãos competentes para exercerem suas atividades, bem como, verificar se as autorizações correspondem ao tipo de prestação de serviços que elas vem executando.

continua após publicidade

Conforme o major, a Secretaria de Segurança também quer saber quais as qualificações dos funcionários, quais os tipos de armamentos utilizados, número de viaturas e quantidade e identificação dos funcionários. ”Ou seja, queremos saber exatamente o que elas fazem e o que podem fazer de acordo com as autorizações obtidas junto ao órgão da Delegacia da Policia Federal”, acrescentou o major. Na ocasião, também foi discutido a questão da diferenciação do uniforme utilizado por estas empresas, que por ter a cor e características idênticas ao da Guarda Municipal, tem causado confusão na comunidade.

continua após publicidade

Durante a reunião também foi anunciado que a partir de agora a Secretaria de Segurança, passará a exercer a fiscalização de todas as empresas e pessoas que vem trabalhando na área de segurança privada no município. ”Existem denúncias de empresas e pessoas que estão trabalhando sem as devidas autorizações, e muitas vezes até utilizando armamento para fazer segurança privada. Isto representa risco para a comunidade”, disse o major Arnaldo.

No final, ficou estabelecido que dentro de trinta dias, será realizada uma nova reunião para a apresentação da documentação exigida, bem como a apresentação de um relatório completo sobre a empresa, contendo numero de pessoal, qualificações, armamentos, número de veículos, para fins de registro na Secretaria de Segurança.

continua após publicidade

O major Arduin reforçou o alerta, dizendo que aqueles que contratam segurança sem autorização da Policia Federal, sem treinamento, sem estar legalizado, além de correr risco como cidadão, ainda em caso de confronto com bandidos, poderá o contratante responder criminalmente por eventuais erros de seu segurança e muitas vezes ser obrigado a pagar indenizações pelos danos causados. ”Este risco, sem sombra de duvida não vale a pena”, concluiu o major.