Região

Umidade relativa do ar é crítica no PR

Da Redação ·
A  situação é agravada pelo aumento das ocorrências de incêndios em vegetaçãos
fonte: cosmo.uol.com.br
A situação é agravada pelo aumento das ocorrências de incêndios em vegetaçãos

A umidade relativa do ar ficou crítica ontem na maioria das regiões do Paraná. Em Apucarana, Londrina, Maringá e Paranavaí os índices chegaram a ficar abaixo dos 20%. A situação é agravada pelo aumento das ocorrências de incêndios em vegetaçãos.

continua após publicidade

O ideal, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS) seria entre 30% e 60%, abaixo ou acima a qualidade do ar pode começar a causar problemas respiratórios. Cambará registrou o indice mais baixo com 15,5% e Guaratuba o mais alto, com 76%.

continua após publicidade



Entre os principais sintomas em consequência da baixa umidade relativa do ar estão a tosse seca, cansaço, ardor nos olhos, nariz e garganta e ainda falta de ar e respiração ofegante.

Conforme a Secretaria de Estado da Saúde do Paraná, o número de atendimentos decorrentes de problemas respiratórios cresceu significativamente. De acordo com o órgão, das 69,8 mil consultas realizadas pelos estabelecimentos públicos na última semana, 14.763 (21% do total) se referiram a problemas respiratórios.

continua após publicidade

Veja os níveis de umidade relativa

do ar em algumas cidades do PR

continua após publicidade

Apucarana - 19.9

continua após publicidade

Cambará - 15,5

Londrina - 18.9

Maringá - 18.2

Paranavaí - 17.6

Ponta Grossa - 24.5

Fonte: Simepar