Região

Trecho entre Apucarana e Ponta Grossa será duplicado

Da Redação ·
A duplicação dos 250 quilômetros da BR-376 que ligam Apucarana a Ponta Grossa deve se tornar uma realidade em breve
fonte: intelog.com.br
A duplicação dos 250 quilômetros da BR-376 que ligam Apucarana a Ponta Grossa deve se tornar uma realidade em breve

A duplicação dos 250 quilômetros da BR-376 (Rodovia do Café) que ligam Apucarana a Ponta Grossa deve se tornar uma realidade em breve. É o que garante o secretário de Estado de Transportes, Mário Stamm Júnior. Em visita ontem à sede da Tribuna do Norte, em Apucarana, ele apontou que o governo estadual tem intensificado as negociações junto à concessionária CCR RodoNorte, responsável pelo trecho. O objetivo é antecipar as obras, inicialmente previstas em contrato para começarem em 2015 e terminarem em 2021, período em que se encerra a concessão da empresa.
 

continua após publicidade

“Esta duplicação já é uma necessidade de extrema urgência. Por isso, abrimos nosso diálogo com a concessionária para começar isso o mais rápido possível, independente por onde as obras tenham início”, afirma.
 

continua após publicidade

O secretário aponta que a rodovia que liga Medianeira a Cascavel, a BR-277, também está inclusa nas discussões e deve ser tratada como prioridade. “São duas situações rodoviárias do Paraná que precisam de uma solução imediata. Também não adianta duplicar apenas um dos trechos destas ligações. É necessário fazer a duplicação como um todo”, avalia.

continua após publicidade


Para Stamm, as obras de duplicação devem beneficiar, principalmente, a integração de polos regionais e atividades econômicas. Ao mesmo tempo, devem conceder mais segurança aos usuários que trafegam por estas rodovias de pistas simples.


Será, conforme ele, uma oportunidade de melhor conectar a região com o Sul do Estado.
“As estradas são fortíssimos indutores do desenvolvimento econômico e social. Com isso, teremos um extremo desenvolvimento, aumento do fluxo de veículos e redução de acidentes”, avalia.

continua após publicidade


De acordo com dados da concessionária CCR Rodonorte, cerca de 6,2 mil veículos circulam diariamente pela BR-376. Em 1998, época em que a rodovia ainda não era pedagiada, o fluxo era de 4,1 mil por dia.



Conta da conservação


Além de exigir a antecipação da duplicação da BR-376 e BR-277, o Governo do Estado tem defendido uma proposta de remodelagem do sistema de pedágios. “Isso deve incluir a redução das tarifas e correções nas rodovias”, observa o secretário de Estado de Transportes, Mário Stamm Júnior.
Para ele, a PR-445, que liga Mauá da Serra a Londrina, é uma das rodovias paranaenses que devem integrar futuros projetos de duplicação. “Esta mesma rodovia poderia deixar de ser do Estado, para se tornar federal”, pontua.
Stamm também considera que a estadualização das rodovias municipais, como a que liga Apucarana a Rio Bom, ainda esbarra na falta de recursos. “Estamos procurando uma forma de rever isso, já que quando a estadualização ocorre a conta da conservação destas estradas passa para o Estado”, analisa.