Região

Casos de dengue voltam a crescer na região

Da Redação ·
 Evitar água parada é a maneira mais eficaz de combater o Aedes
fonte: Divulgação
Evitar água parada é a maneira mais eficaz de combater o Aedes

Nem mesmo o frio tem afastado os casos de dengue da região. Segundo a 16ª Regional de Saúde (RS), uma nova situação foi confirmada ontem em Arapongas. “Este é o 11º caso autóctone do município”, conta o chefe da 16ª RS, Kazuhiko Yamamoto.

continua após publicidade

Ao todo, Arapongas contabiliza 25 infectados pelo Aedes aegypti. Quatorze destas situações foram importadas de outras regiões. O município, conforme Yamamoto, também lidera no número de casos da doença na área da 16ª RS. “Doze municípios da regional têm registros. Desde o início do ano, já são 62 casos, sendo 45 importados e 17 autóctones”, relata. A região também já teve 376 notificações.

continua após publicidade


O médico recomenda que os cuidados para evitar a proliferação do mosquito transmissor da doença sejam mantidos, ainda mais com a entrada do sorotipo 4 da dengue no Brasil. A infecção pelo vírus causa os mesmos sintomas da dengue comum - febre alta, dores de cabeça e atrás dos olhos, nos ossos, articulações e abdômen, além de manchas vermelhas pelo corpo, vômitos e sangramentos. “Não podemos deixar água parada, temos que continuar atentos”, salienta Yamamoto.


De acordo com a Secretaria de Estado de Saúde (Sesa), 24.658 casos de dengue foram registrados no Paraná em 2010. Deste total, 23.867 são autóctones e 791, importados.


Comparado com o mesmo período de 2007, que foi um ano epidêmico da doença, houve aumento de 31% nos casos notificados da doença, de 44.307 em 2007, para 58.185 em 2010. “Isso demonstra que o Estado está aumentando cada vez mais seu sistema de notificação e combate à dengue e que os profissionais de saúde estão atentos à doença”, analisa o superintendente de Vigilância em Saúde da Sesa, José Lúcio dos Santos.