Região

Queda na 3ª idade: atenção deve redobrar no inverno

Da Redação ·
Iracema Rosa da Silva tirou os tapetes de casa para evitar quedas | Foto: Delair Garcia
Iracema Rosa da Silva tirou os tapetes de casa para evitar quedas | Foto: Delair Garcia

Atividades comuns do cotidiano, como ir ao banheiro ou dar ração para o cachorro, se tornaram um desafio para a idosa Iracema Rosa da Silva, 78 anos. Assim como  para a apucaranense, na terceira idade, os acidentes domésticos são mais frequentes e tendem a ter consequências sérias. Segundo o Ministério da Saúde, dentre os idosos com mais de 80 anos, 40% caem a cada ano. Apesar de nunca ter fraturado nenhum osso, a idosa perdeu as contas dos tombos que levou nos últimos anos. “Anteontem mesmo eu fui dar comida para meu cachorro, caí e machuquei o ombro e a cabeça”, conta.

continua após publicidade

Atualmente, a idosa encontra-se acamada, não só por conta das quedas, mas também por sofrer por problemas no coração e nos pulmões. Além disso, por conta dos remédios, a pele da idosa se tornou muito fina e qualquer pancada é motivo de preocupação. “Esses dias bati a perna no carro do meu filho e começou a sangrar. Tenho que tomar cuidado”, explica.

Para diminuir e evitar as quedas, o filho da idosa, Paulo Cezar Felisbino da Silva, 57 anos, tirou todos os tapetes da casa e comprou um chinelo fechado e emborrachado para ela. “A gente faz o possível para que ela fique quietinha, mas ela sempre foi ativa, trabalhou como boia-fria, por isso, é difícil”, lamenta. O socorrista Carlos Pereira, que trabalha no Serviço Integrado de Atendimento ao Trauma e Emergência (Siate) do 4º Subgrupamento de Bombeiros Independente (SGBI) de Apucarana comenta que, com o avanço da idade, as pessoas vão perdendo a visão e a audição, os reflexos ficam mais lentos, a postura corporal geralmente se altera e o equilíbrio acaba também sendo prejudicado. 

continua após publicidade

Além disso, ele explica que no inverno, as ocorrências de quedas aumentam por causa do frio. “No inverno, os sintomas comuns no idoso são fraqueza, fadiga, o que facilita a queda”, ressalta. Pereira diz que as partes do corpo que são mais afetadas com as quedas são fêmur, braços e punhos. 

PREVENÇÃO 
Para evitar as quedas, segundo o socorrista, é importante tomar cuidado com os tapetes entre as portas, usar tapetes emborrachados antiderrapantes, sapatos fechados ao invés de chinelos, manter a casa iluminada, instalar barras de apoio laterais e aumentar a altura do assento sanitário. “Todo cuidado é pouco. É preciso estar atento, pois uma queda na terceira idade pode ser fatal”, alerta.