Região

Idosa dada como morta pelo INSS viaja 200 km para reaver benefícios

Da Redação ·
Idosa nascida em 1896 tem que provar para o INSS que ainda está viva (Foto: José Luiz Mendes)
Idosa nascida em 1896 tem que provar para o INSS que ainda está viva (Foto: José Luiz Mendes)

Uma idosa que afirma ter 120 anos de idade teve sua aposentadoria bloqueada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) por desacreditarem que ela ainda esteja viva. O benefício ficou cancelado temporariamente até que ela provasse que não morreu.

continua após publicidade

Jesuína dos Santos Cardoso, moradora da cidade de Rio Branco do Ivaí (PR) teve que se deslocar até Apucarana (PR), cerca de 200 km de distância, para se apresentar ao INSS da cidade onde ela é cadastrada para comprovar que ainda estava viva.

A situação aconteceu na manhã dessa sexta-feira (13), onde a senhora veio acompanhada de sua neta e do presidente da Câmara Municipal de Rio Branco do Ivaí, Valdir Correia de Moraes, que a levaram até a agência em Apucarana, para que houvesse a regularização do benefício.

continua após publicidade

Presidente da Câmara Municipal de Rio Branco do Ivaí e a neta Dalilia de Amaral, junto com a idosa (Foto: José Luiz)

O presidente da câmara que se disponibilizou a trazer a senhora, ressaltou que tanto a câmara como os próprios familiares de Jesuína esperavam outro posicionamento da instituição, já que a idosa se encontra debilitada. “Nós achamos que eles poderiam ter feito isso diferente. É muito judiado pra ela ter que se deslocar até aqui. Eles que deveriam ter ido até lá comprovar essa situação’’, comenta ele, que carregou a idosa no colo por não possuir cadeira de rodas.

A senhora teve que se apresentar ao INSS juntamente com seus documentos pessoais que confirmassem ser dela. Após a visita da idosa, o INSS acatou o pedido de regularização do benefício e desbloqueou o serviço.

continua após publicidade

Caso raro

Jesuína dos Santos Cardoso é natural de Reserva, Paraná, mas reside na cidade de Rio Branco do Ivaí, onde cresceu e permanece até hoje. Nascida em 30 de janeiro de 1896, a idosa que se mantém lucida ainda, toma remédio apenas para a pressão e o coração; come de tudo e toma seu chimarrão religiosamente todas as manhãs.

Viúva e mãe de 15 filhos, já enterrou todos eles. Contabiliza até o momento 30 netos, mais de 10 bisnetos e quatro tataranetos. Atualmente, a idosa mora com um neto e sua esposa, que afirma não terem muito trabalho com ela. A senhora, que andava até o ano passado, gostava de fazer suas coisas sozinha, de acordo com eles.

continua após publicidade

Mantendo uma rotina descrita como normal, a senhora tem suas vontades e inclusive se rende a elas. Adora pipoca, e com apenas um dente, consegue dar um jeito e comer. A neta, Dalilia Amaral, conta que a vó adora uma conversa, e sempre que tem uma visita, não perde a oportunidade de convidá-las para ‘’prosear’’, como costuma dizer.

Na cidade onde mora, dona Jesuína é praticamente uma atração. A família afirma que frequentemente aparece alguém querendo conhece-la e até mesmo tirar uma foto para registrar o momento.

continua após publicidade

Mulher mais velha do mundo

Apesar de ter Carteira de Identidade (RG) e Registro Civil, que aparentemente comprova sua idade, não há confirmação que Jesuína detenha o título de mulher mais velha do mundo.

A italiana Emma Martina Luigia Morano nascida em 29 de novembro de 1899, é considerada até o momento como a mulher de maior idade do planeta, na lista americana do "Gerontology Research Group".

(Foto: José Luiz)