Região

Morre em Apucarana Emília Cretuchi, presidente da Adefiap durante 27 anos

Da Redação ·
Emília Cretuchi Quartim tinha 69 anos e era pessoa muito querida em Apucarana - Reprodução - Facebook
Emília Cretuchi Quartim tinha 69 anos e era pessoa muito querida em Apucarana - Reprodução - Facebook

A Autarquia de Serviços Funerários de Apucarana (ASERFA) confirmou o falecimento no final da tarde deste feriado de sexta-feira (25) de Emília Cretuchi Quartim, 70 anos. Ela presidiu durante 27 anos a Associação dos Deficientes Físicos de Apucarana (Adefiap). Conforme familiares, Emília faleceu no Hospital da Providência, após sofrer infarto.

Amigos e parentes manifestaram pesar nas rede sociais. "Dona Emília", como era carinhosamente chamada, deixa um casal de filhos, cinco netos e um bisneto. O corpo de Emília Cretuchi vai ser velado na sede da Adefiap, localizada na Rua Ponta Grossa 821,no centro de Apucarana. O corpo é velado na Adefiap e o depois trasladado para Maringá para ser cremado domingo pela manhã, no Cremat[orio Angelus. Inicialmente a família tinha definido que o sepultamento seria as 16 horas de sábado (26), no Cemitério Cristo Rei, em Apucarana.

continua após publicidade

LUTO OFICIAL - O prefeito de Apucarana, Beto Preto assinou decreto municipal, determinando luto oficial por três dias, em função do falecimento da Sra. Emília Cretuchi Quartim, aos 70 anos. A escritora e pioneira apucaranense, que ocupava a presidência da Associação de Deficientes Físicos de Apucarana (Adefiap) há 27 anos, foi a óbito por volta das 18 horas de ontem, no Hospital da Providência.

“Dona Emília”, como era carinhosamente chamada por todos, havia sofrido um enfarto do miocárdio na terça-feira. Desde então, ela estava hospitalizada, mas ontem seu estado de saúde se agravou com um quadro de pneumonia e insuficiência renal. A família decidiu realizar o velório na nova sede da Adefiap, na Rua Ponta Grosa, 821, na área central de Apucarana. Emília Cretuchi Quartim era filha de Emílio Cretuchi, o primeiro maquinista da Rede Ferroviária Federal, que chegou a Apucarana junto com a ferrovia, na década de 50. Já falecido, Emílio Cretuchi foi homenageado, cedendo seu nome para uma das ruas do Jardim Figueira. A pioneira deixa seu esposo Nicanor Teixeira Quartim, os filhos Vanessa Cretuchi Quartim e Marcelo Fábio Cretuchi, além de cinco netos e um bisneto.