Região

Radialista assassinado no Paraná havia deixado de fazer matérias policiais

Da Redação ·
João Valdecir de Borba era casado e tinha dois filhos (Foto: Divulgação/ Difusora AM)
João Valdecir de Borba era casado e tinha dois filhos (Foto: Divulgação/ Difusora AM)

O radialista João Valdecir de Borba, o Valdão, de 51 anos, morto a tiros na noite da última quinta-feira (10), quando seu programa musical estava no ar na Rádio Difusora FM, em São Jorge do Oeste, na região Sudoeste do Paraná, havia deixado de fazer cobertura policial há cinco meses. Ele era especializado no setor, mas pediu para mudar para a área musical com receio de sofrer represálias por parte de criminosos, revelaram colegas de trabalho dele na emissora. Segundo a polícia, o radialista foi abordado por duas pessoas e levou um tiro nas costas. Ele trabalhava no rádio há pouco mais de 30 anos. Ele deixa viúva e dois filhos.

O CRIME
- Valdão ensaiava com um cantor na Rádio Difusora FM minutos antes de ser assassinado. O cantor, que não teve o nome divulgado, foi a única testemunha do crime e relatou à polícia que o radialista saiu da emissora por alguns instantes, possivelmente para fumar, e quando acabou abordado por dois bandidos.Os criminosos ordenaram que o cantor ficasse de cabeça baixa e fosse para o banheiro, de acordo com o relato da testemunha da execução.

ESTAMPIDO - Na sequência o músico ouviu um estampido de arma de fogo. Valdão ainda chegou a ser socorrido e encaminhado ao hospital, mas não resistiu ao ferimento provocado pelo projétil.A polícia não descarta várias hipóteses para a motivação do homicídio. Até a tarde deste sábado (12) nenhum suspeito de participação no assassinato havia sido preso, conforme informação da polícia.

continua após publicidade