Região

​Padre dorme na casa da amante e paga aluguel do imóvel

Da Redação ·
Conversas em rede social apontam para romance entre padre e moça em Ponta Grossa, no Paraná - Imagem: Reprodução/aRede
Conversas em rede social apontam para romance entre padre e moça em Ponta Grossa, no Paraná - Imagem: Reprodução/aRede

Reportagem investigativa feita em conjunto pelo portal aRede e o Jornal da Manhã, em Ponta Grossa, na região dos Campos Gerais, no Paraná, resultaram em indícios de mais um escândalo sexual envolvendo um padre radicado em paróquia do município. Mensagens trocadas pelo Facebook, que chegaram à redação dos órgãos de imprensa através de um frequentador da paróquia, apontam um possível envolvimento do padre com uma garota de 23 anos. O caso já está sendo apurado pela Curia Diocesana e se for confirmado seria a segunda quebra de celibato neste ano em Ponta Grossa.

continua após publicidade

O romance entre o padre e a jovem teria se iniciado no ano de 2012. Ela morava em uma pequena cidade do interior do Paraná e a convite do religioso católico passou a residir em Ponta Grossa para ser secretária da paróquia. Quando os fiéis descobriram que os dois eram amantes, a jovem foi demitida e atualmente cumpre aviso prévio.

Mensagens postadas em rede social identificam supostas conversas desta jovem com uma amiga, nas quais ela confirma o envolvimento com o pároco. “Sabia que ele veio dormir aqui ontem a tarde? Que graça!”, conta a garota para a amiga confidente. Em outra mensagem, ela faz o seguinte desabafo: “Já falei para ele que não quero que ele deixe o sacerdócio. Aqui ele se diverte, curte com amigos, tem dinheiro, pouco, mas tem."

continua após publicidade

Em outra troca de mensagens com a amiga, a garota amante do pároco afirma que recebe benefício financeiro para ficar em Ponta Grossa. “Amém. As vezes penso em voltar para casa se eu não passar. Não vale a pena o padre ficar pagando aluguel para mim”.

O nome da paróquia não foi divulgado para evitar transtornos à instituição religiosa. O padre citado nas mensagens não foi localizado. O bispo Diocesano de Ponta Grossa, Sérgio Arthur Braschi, ainda não se manifestou sobre o caso.