Região

Polícia descobre local onde funcionava falsa entidade filantrópica em Maringá

Da Redação ·
Foram apreendidos na residência onde funcionaria a entidade diversos recibos e um computador
fonte: AEN - Paraná
Foram apreendidos na residência onde funcionaria a entidade diversos recibos e um computador

Policiais do Núcleo de Repressão a Crimes Econômicos (Nurce), núcleo de Maringá, localizaram nesta segunda-feira (1) uma residência que estava sendo investigada por funcionar como falsa entidade filantrópica. Cinco pessoas que estavam no local foram indiciadas por estelionato e formação de quadrilha.

De acordo com a polícia, as investigações iniciaram há oito meses, depois que o Conselho Municipal de Assistência Social de Maringá (Comas) recebeu diversas denúncias sobre a existência do falso telemarketing e do enriquecimento ilícito dos responsáveis pela falsa entidade. O Conselho então procurou a polícia e informou sobre a falsa entidade denominada de Casa de Amparo ou Casa de Amares.

Durante cumprimento de mandado de busca e apreensão na residência foram recolhidos diversos recibos de venda dos sacos plásticos e um computador que será submetido à perícia, a fim de comprovar as atividades ilegais do grupo que, segundo as investigações, vem atuando em Maringá e região desde 2006.

“Os suspeitos enganavam as pessoas com a finalidade de enriquecimento ilícito, já que não havia nenhuma atividade social desenvolvida pela entidade, que utilizava o CNPJ de uma oficina mecânica, pertencente ao marido de uma das indiciadas, para a emissão de recibos de contribuição para com a entidade Casa de Amparo/Amares”, explicou o delegado Fernando Ernandes Martins, delegado do Nurce de Maringá.
 

continua após publicidade