Região

Skatista apucaranense está entre as melhores do Brasil

Da Redação ·
 Thaís Caroline durante treino no Lagoão
fonte: André Henrique Veronez
Thaís Caroline durante treino no Lagoão

Considerado um esporte radical, principalmente para meninas, por causa das manobras arriscadas, fez com que o fascínio da apucaranense Thaís Caroline Pinto pelo skate aumentasse ainda mais.


A paixão começou no início da adolescência. “Foi aos 10 anos. Eu passava aqui para ir à escola,via algumas pessoas andando, senti curiosidade e pedi um skate de presente de aniversário para o meu pai”, recorda Thaís Caroline Pinto.
 

continua após publicidade

Sete anos depois, ela continua freqüentando a estrutura do Complexo Esportivo Lagoão, em Apucarana, para treinar. Na época, nem imaginava que hoje se tornaria uma das melhores da categoria no Brasil.

 

A skatista vai ao espaço de segunda a sexta-feira, depois do colégio e no finalzinho da tarde. Nas rampas ela treina suas manobras preferidas, como flip, flip back, hard flip e ollie.
 

continua após publicidade

No sábado e domingo, ela vai para outras cidades com estrutura melhor para a modalidade street. “Nos finais de semana busco lugares mais estruturados para a modalidade street, como Londrina, Maringá e Ibiporã”, conta. Ela ressalta que esportistas de outras cidades vêem para Apucarana treinar a modalidade Banks.


Tanta dedicação já lhe rendeu quase 100 títulos. Os troféus e shapes estão por todos os lados e fazem parte da decoração do seu quarto.
 

No início do mês, o reconhecido veio da Câmara de Vereadores de Apucarana que conferiu à esportista menção honrosa, pela conquista do Campeonato Paranaense de Skate, em 2009.
 

continua após publicidade

Nessa altura nem dá pra acreditar que ainda tem gente que dúvida do potencial feminino sobre o shape.
 

“O Preconceito existe, mas ele vem das pessoas que não conhecem o nosso trabalho, não sabe os objetivos de quem está treinando, andando de skate”, afirma.
 

Mas, pelo visto, elas fazem parte de uma minoria. “Eu vejo pelo lado da maioria, tem mais gente a favor que contra, sempre me apoiando e me incentivando”, frisa.
 

A adolescente também aproveita as horas vagas para estudar para o vestibular. Ela pretende ser educadora física.