Região

Justiça ouve acusado de vários assaltos e latrocínio ocorrido na região de Ivaiporã

Da Redação ·
Caveira estava foragido da justiça há mais de quatro anos, depois de participar de um latrocínio no distrito de Jacutinga (Foto/Ivan Maldonado)
Caveira estava foragido da justiça há mais de quatro anos, depois de participar de um latrocínio no distrito de Jacutinga (Foto/Ivan Maldonado)

Na manhã de ontem (26) Valnir Martins de Freitas, 32 anos, o Caveira, envolvido em diferentes crimes na região, que vão desde furto a latrocínio participou da primeira audiência no Fórum da Comarca de Ivaiporã após a captura dele na terça-feira (24). Freitas foi preso no Porto Ubá e é suspeito de também estar envolvido no assalto da casa lotérica de Lidianópolis. Ele estava foragido da justiça há mais de quatro anos, depois de participar de um latrocínio no distrito de Jacutinga, em Ivaiporã, quando duas pessoas foram mortas. Freitas tinha pelo menos sete mandados de prisão em aberto.

continua após publicidade

Para o transporte do preso, policiais da 54ª Delegacia Regional de Polícia (54ª DRP) utilizaram duas viaturas. Ele foi acompanhado pelo delegado Gustavo Dante, dois investigadores e um agente de cadeia que garantiram a escolta.  “O Caveira responde a vários processos. Em contato com a juíza e o promotor, até devido à periculosidade dele, achamos por bem fazer uma oitiva de todos os processos num dia”.

O delegado diz que pretende transferir Freitas urgentemente para uma penitenciaria. “Somadas as penas de todos os processos, o Caveira terá que pagar mais de 100 anos de cadeia.  Em razão disso, acredito que ele tentará fugir. Por isso, precisamos encaminhar o preso para uma penitenciaria, onde ele deverá cumprir a pena integralmente”,  destaca Dante

continua após publicidade

Segundo o delegado, a cadeia da 54ª DRP é antiga e a estrutura não oferece segurança para manter um preso da periculosidade de Freitas.  Atualmente a carceragem que tem capacidade 40 internos está superlotada com 118 presos.