Região

Manifestantes realizam novo bloqueio na BR-376 em Marilândia do Sul

Da Redação ·

(Atualizado às 17h00min)

Após liberação da BR-376 (na região de Apucarana) e também na BR-369 (na região de Arapongas) novo bloqueio voltou a ocorrer em rodovias da região nesta sexta-feira (27) à tarde.

continua após publicidade

Segundo informações da Polícia Rodoviária Federal, agricultores fizeram novo bloqueio na BR-376, próximo ao KM 267, em Marilândia do Sul. Há uma movimentação intensa no local, com diversos caminhões e carros. Há pelo menos dois tratores na pista. Pneus e barricadas foram colocadas na rodovia. O trânsito de caminhões está impedido no local, no entanto, carros estão tendo passagem permitida. Há mais de cem manifestantes no protesto.

Há pneus queimando, com bloqueios foram montados nos dois sentidos da pista. Carros realizam passagem pelo acostamento. Equipes da PRF estão monitorando a situação no local. Até o momento não foram registrados conflitos.

continua após publicidade

APUCARANA - Ontem (26) pela manhã a PRF já havia dado fim a bloqueio de caminhoneiros no km 245 da BR-376, próximo à Cocamar, em Apucarana. No entanto, os profissionais do volante ainda realizam protestos em rodovias estaduais, como a PR-444, em Arapongas, e na PR-466, em Jardim Alegre. 


REGIÃO - A PR-445 voltou a ser bloqueada pelos caminhoneiros no final da manhã desta sexta-feira (27). Os manifestantes protestam no km 80 da rodovia, nas proximidades do posto Formigão, em Londrina. Segundo informações da Polícia Rodoviária Estadual (PRE), apenas caminhões estão sendo bloqueados pelos manifestantes. Carros de passeio, ônibus e veículos de emergência trafegam normalmente pela rodovia. Já na BR-369, o trânsito flui normalmente, segundo informações da Policia Rodoviária Federal (PRF).

ACORDO - Após reunião no Ministério dos Transportes, que durou a tarde e parte da noite da quarta-feira (25), governo e caminhoneiros chegaram a um acordo que pode acabar com os protestos nas rodovias federais. Segundo o presidente da Confederação Nacional dos Transportadores Autônomos (CNTA), Diumar Bueno, que participou da reunião, a proposta apresentada pelo governo foi acatada pelos representantes da categoria presentes à mesa de negociação.

Dirigentes de sindicatos e lideranças de caminhoneiros autônomos em reunião com representantes do governo no Ministério dos Transportes Antonio Cruz/Agência Brasil Pela proposta, o governo promete sancionar a Lei dos Caminhoneiros sem vetos, prorrogar por 12 meses o pagamento de caminhões por meio do Programa Procaminhoneiro e criar, por meio de negociação entre caminhoneiros e empresários, uma tabela referencial de frete. Nesse item, os representantes dos caminhoneiros pediram que o governo atue na mediação com os empresários. 

O presidente da CNTA considerou que o acordo trouxe ganhos históricos para a categoria. Segundo Diumar Bueno, os caminhoneiros tiveram conquistas efetivas na mesa de negociação.