Região

Jandaia terá novo cemitério em 2017

Da Redação ·
 Cemitério municipal de Jandaia do Sul está sendo readequado
fonte: André Veronez
Cemitério municipal de Jandaia do Sul está sendo readequado

A solução para a falta de vagas no Cemitério Cristo Redentor, em Jandaia do Sul, foi tema recentemente de uma reunião envolvendo o prefeito do município, José Rodrigues Borba (PP), e a Comissão Municipal de Meio Ambiente.

continua após publicidade


O encontro, conforme o membro da entidade, o vereador Wesley Martins Lima (PMDB), apresentou à comunidade o cronograma de ações para garantir a construção de um novo local para o sepultamento de moradores da cidade. “O prazo temos é até 2017”, comenta.


As medidas fazem parte de um Termo de Ajuste de Conduta (TAC) firmado pelo município junto ao Instituto Ambiental do Paraná (IAP). Proposto pelo Ministério Público, o compromisso também evita que o atual cemitério seja ampliado com o uso da Rua João Batista Mortean, alternativa que, apesar de deixar moradores contrariados, fez parte de um projeto de lei aprovado pela Câmara dos Vereadores no ano passado.

continua após publicidade


De acordo com a promotora de Justiça Fernanda Lacerda Silvério, o TAC, que tem peso de sentença, foi assinado em junho e possui dois tópicos. O primeiro trata da readequação das áreas do cemitério atual e a segundo, da nova necrópole. “O município já iniciou a readequação para conseguir mais vagas dentro da área que já possuímos. Serão 495 novos espaços para sepultamento, com a ocupação de ruas do próprio cemitério e a criação de túmulos verticais”, diz.


Ela explica que a construção do novo cemitério está condicionada a este trabalho. “As vagas serão implantadas conforme a necessidade da cidade, sendo que será preciso ter sempre disponível pelo menos 15 unidades em condições de sepultamento”.


O secretário municipal de Obras, Damásio Gomes de Brito, salienta que as iniciativas para viabilizar mais vagas estão adiantadas. “Antes da assinatura do TAC já começamos o trabalho com o aproveitamento de túmulos abandonados há mais de 30 anos”, reforça.