Região

José Eduardo Vieira, dono da Folha de Londrina, morre aos 76 anos

Da Redação ·
José Eduardo Vieira, dono da Folha de Londrina, morre aos 76 anos - Foto: bonde.com.br
José Eduardo Vieira, dono da Folha de Londrina, morre aos 76 anos - Foto: bonde.com.br

Faleceu na manhã deste domingo (1º), aos 76 anos, o empresário José Eduardo de Andrade Vieira, dono do Grupo Folha de Comunicação (Folha de Londrina). O empresário deu entrada no hospital de Joaquim Távora no último dia 12 de janeiro com um quadro de pneumonia, foi transferido no dia seguinte para o Hospital Evangélico de Londrina e faleceu por volta das 6h30 em decorrência de uma parada cardiorrespiratória. O velório será no Crematorium Londrina a partir das 13 horas.

Natural de Tomazina, a vida de José Eduardo foi marcada por momentos significativos tanto na área política como na econômica. O empresário presidiu o Banco Bamerindus entre os anos de 1981 e 1997, quando a instituição foi vendida ao HSBC. Em 1992, ele entrou como sócio da Folha de Londrina, e em 1999 assumiu a superintendência do jornal.

O empresário também foi um dos primeiros senadores eleitos após a redemocratização do Brasil e ocupou funções importantes nos governos Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso, na década de 1990.

Vieira foi ministro da Indústria, do Comércio e do Turismo no governo Itamar, e acumulou, entre 1991 e 1993, o Ministério da Agricultura na gestão do então presidente. Dois anos depois, já no governo do amigo Fernando Henrique Cardoso (PSDB), José Eduardo voltou a ser ministro da Agricultura, e ficou no cargo até 1996.

O empresário, ex-senador e ex-ministro deixa sete filhos. A família emitiu uma nota nesta manhã.

"Comovidos com a morte do nosso pai, um homem cuja vida foi um exemplo por nós seguido e que, por certo, será inspiração para as próximas gerações dos Andrade Vieira. Uma vida dedicada ao trabalho, ao desenvolvimento do Paraná e do Brasil. Nosso querido José Eduardo deixa seu legado no campo e nas cidades, em todos os lugares que percorreu com seus nobres ideais. São estes sentimentos que nos moverão adiante, com a missão de manter viva sua memória e seus ensinamentos. Sob forte consternação, subscrevemos: Germano, Edson Luís, Alessandra, Tânia, Juliana, Cláudio e Alexandre".


Clique aqui e leia a matéria completa


Fonte: bonde.com.br (com informações dos repórteres Andréa Bertoldi, 

continua após publicidade

Edson Ferreira e Rubens Chueire Junior, da Folha de Londrina)