Região

IAP vistoria novas áreas de preservação

Da Redação ·
Foto: Edson Denobi
Foto: Edson Denobi

O coordenador Estadual do ICMS Ecológico, Rubens Lei, esteve ontem em Apucarana com uma equipe do Instituto Ambiental do Paraná (IAP) inspecionando as duas novas unidades de conservação ambiental de Apucarana que estão em processo de cadastro para obtenção de recursos do imposto. 

continua após publicidade

A visita foi acompanhada pelo secretário municipal do Meio Ambiente, Éwerton Pires e técnicos da Sema. A área da Unidade de Conservação Ubatuba-Dourados, situada próxima do Distrito de Caixa de São Pedro e da PR-444, foi vistoriada pela manhã. E, no período da tarde, o grupo esteve no Parque das Araucárias, junto ao Parque Industrial Norte.

A partir do cadastramento das duas novas unidades de conservação, automaticamente o Município passará a receber mais recursos provenientes do ICMS Ecológico. Atualmente, Apucarana já é remunerada com cerca de R$ 800 mil/ano pela manutenção das unidades Parque Ecológico da Raposa e Colônia Mineira. “Nestas duas unidades de conservação já existentes temos uma área de cerca de 100 hectares.

continua após publicidade

Já com os dois novos parques que o prefeito Beto Preto se propôs a criar, estamos agregando mais 12 hectares e a estimativa é de arrecadar aproximadamente R$ 90 mil/ano”, avalia o secretário Éwerton Pires, assinalando que os recursos serão destinados à manutenção e atividades de educação ambiental. Conforme explica Pires, as vistorias realizadas nesta sexta-feira em Apucarana compõem a última etapa do processo de homologação oficial das duas novas unidades de conservação. “Todas as informações, bem como imagens e medições das áreas foram juntadas pelo coordenador estadual, Rubens Lei, e a coordenadora regional, Raquel Filla”, informou.

Para o prefeito Beto Preto, a criação dos novos parques garantem benefícios que vão muito além da simples preservação das matas e da fauna. “Sobretudo com a criação do Parque Ubatuba-Dourados, que abriga ribeirões afluentes, certamente teremos uma elevação da quantidade e qualidade da água que chega ao Rio Pirapó, manancial de abastecimento de Maringá e de outros municípios”, destaca Beto Preto.