Região

Violência espalha medo na região Norte de Apucarana

Da Redação ·
 Casa onde residia o rapaz assassinado em Apucarana
fonte: TN online
Casa onde residia o rapaz assassinado em Apucarana

Uma onda de violência teve início há cinco dias na região Norte de Apucarana. Neste período, seis pessoas foram feridas a tiros e um rapaz acabou assassinado após ter a casa invadida por três homens encapuzados. Três dos baleados são adolescentes. A Polícia Civil não descarta a hipótese de que os casos estejam relacionados a uma suposta rivalidade entre gangues que disputam território para o tráfico de drogas, principalmente o crack.

continua após publicidade

O último caso do gênero na área Norte da cidade foi registrado na madrugada de quinta-feira(1). Três homens armados e encapuzados invadiram duas residências durante  no Loteamento Sanches dos Santos (região Norte de Apucarana), fizeram pessoas reféns e na sequência executaram um rapaz e balearam um menor. Segundo a polícia, a ação aconteceu em represália a uma tentativa de homicídio registrada na noite de quarta-feira (30), no Núcleo Habitacional Marcos Freire.

continua após publicidade

A polícia relatou que Tahles Aparecido Ferreira, de 19 anos,foi ferido com vários tiros e não resistiu às lesões. Um adolescente de 16 anos acabou baleado nas costas e perna. Ele foi encaminhado ao Hospital da Providência, mas antes acabou reconhecido como autor de uma tentativa de assassinato ocorrida quarta-feira (30) à noite.

continua após publicidade

O FATO - De acordo com a Polícia Militar, por volta das 2 horas da madrugada de hoje (1), informações anônimas recebidas pelo Copom davam conta que na casa de nº 96 da Rua André Celso Szpak havia uma pessoa ferida por disparo de arma de fogo. No mesmo momento a PM foi informada que um jovem estava morto na casa de º 06 da R. João Esteci, ambas no bairro Sanches dos Santos.

PMs foram ao local e ao chegarem na Rua André Celso Szpak verificaram que um menor de 16 anos apresentava ferimentos causados por disparos de arma de fogo nas costas e em uma das pernas.

continua após publicidade

Enquanto o adolescente era atendido por uma equipe do Siate, a prima dele que mora no mesmo endereço relatou que estava no interior de sua casa, junto com seu filho, quando homens armados e encapuzados invadiram o local, perguntando pelo menor.

continua após publicidade

Como ele não estava, o trio de criminosos a manteve como refém até a chegada do menino de 16 anos. Os bandidos efetuaram vários disparos contra o menor, que mesmo ferido, também atirou contra o trio e conseguiu sair da moradia.

continua após publicidade

A prima do garoto relatou ainda que após esse fato, foi obrigada a sair com os três encapuzados e indicar a casa onde morava Thales. Chegando aos local, eles invadiram a residência e abordaram a mãe de Thales.

EXECUÇÃO - Mediante ameaças, a mãe indicou qual era o quarto do rapaz. Os executores entraram no quarto de Thales e desferiram, a princípio, três tiros contra ele, acertando uma das mãos, o rosto e a nuca. O rapaz teve morte instantânea.

continua após publicidade

Ainda segundo informações colhidas no local, o menor de 16 anos e Thales seriam os autores de uma tentativa de homicídio ocorrida por volta das 18h20 de ontem (30) no Núcleo Habitacional Marcos Freire e teriam baleados como represália.

continua após publicidade


O menor baleado foi socorrido pelo Siate e encaminhado ao Hospital da Providência para atendimento médico e na seqüência será autuado, pois foi reconhecido pelo crime no Marcos Freire e estava na condição de “evadido”. 

NOVE - De acordo com a Polícia Civil, neste ano já foram registrados nove homicídios no município de Apucarana. O número já representa 90% do total de assassinatos no município em 2009. No ano passado, foram consumados 10 homicídios e dois latrocínios (roubo seguido de morte) na cidade.

continua após publicidade


“Nunca estivemos com tanto medo como agora”

O clima no Loteamento Sanches dos Santos, em Apucarana, é de de muito medo e apreensão. Enquanto o corpo de Tahles Aparecido Ferreira, de 19 anos, era velado na residência da família, familiares do rapaz, vizinhos e populares demonstravam o temor pelo olhar. Parentes de Tahles não se quiseram se manifestar a respeito do assassinato do jovem, mas vizinhos e amigos se pronunciaram.

“É um momento muito difícil, mas esperamos que a polícia faça a sua parte e os culpados sejam punidos”, disse Roseli das Mercês, que estava no velório de Tahles. A dona de casa Luzia Aparecida Furtado mora na casa em frente à residência do rapaz morto a tiros. Ela fez um desabafo. “Moro aqui há dez anos, mas nunca estivemos com tanto medo como agora, pois há gangues muita violentas soltas por aí e isso é muito perigoso. Essas gangues estão mais armadas que a polícia”, opinou Luzia.

INVESTIGAÇÃO – O delegado chefe da 17ª SDP, Gabriel Junqueira, garantiu que as investigações sobre os casos recentes de violência na região Norte de Apucarana já estão em estágio avançado. “A prisão dos responsáveis é só uma questão de tempo, mas podemos adiantar que o pano de fundo de tudo isso é a droga e disputa de território para a comercialização de entorpecentes”, frisou o delegado.