Região

Pirapó pede mais segurança na rodovia para a Viapar

Da Redação ·
 A reunião teve a presença de representantes da Viapar, da vereadora Lucimar Scarpelini e de moradores do Pirapó
fonte: Divulgação
A reunião teve a presença de representantes da Viapar, da vereadora Lucimar Scarpelini e de moradores do Pirapó

Uma comissão de moradores do distrito de Pirapó se reuniu, na tarde desta quarta-feira (30), na Câmara de Apucarana, com representantes da concessionária Viapar. A reunião foi intermediada pela vereadora Lucimar Scarpelini (PP). “Nós queremos que a Viapar tome alguma providência urgente, pois tem havido grande número de acidentes no trevo de acesso ao distrito, alguns deles fatais”, afirma Wilson Festi, um dos integrantes da comissão.

continua após publicidade


Entre os representantes do distrito estavam pessoas que perderam familiares e amigos devido a acidentes no local. Rosilene Fernandes e Joaquim Nascimento, por exemplo, perderam o filho Jeferson, de 18 anos. O acidente completou três anos em março. José Sanches representou a patroa, que reside em São Paulo e envolveu-se em outro acidente no local e que resultou na morte de outra pessoa. “Em três anos, tivemos 12 acidentes envolvendo pessoas do Pirapó. Se somarmos os acidentes envolvendo pessoas de fora, aí o número sobe muito mais”, acrescenta Festi. Segundo ele, a maior preocupação é com o ônibus circular, que transita lotado pelo trecho. “Se uma carreta um dia pegar um circular ali na rodovia, será uma tragédia sem tamanho”, adverte.

continua após publicidade


A Viapar esteve representada por Antônio Clarete, chefe de Obras, Jackson Seleme, gerente de Engenharia, e Egilson Mota, chefe de Manutenção. Eles explicaram que o correto é instalar um radar no local, pois já existe sinalização, mas muitos motoristas não obedecem. “Sonorização só faz barulho, quebra-mola vai causar acidente para quem vem atrás. O radar é um guarda que vai ficar ali, atuando 24 horas por dia”, argumentou Antônio Clarete. Os representantes da Viapar informaram que há estudo mostrando a viabilidade e que o contrato prevê recursos para a instalação. No entanto, é preciso que haja um convênio entre o governo estadual e a Polícia Rodoviária Federal liberando a instalação”, frisa Jackson Seleme.


Lucimar Scarpelini afirmou que a instalação do radar já havia sido acertada com a Viapar em outubro do ano passado, em reunião, também na Câmara, com vários vereadores. “Como isso não aconteceu, os moradores estão se mobilizando e têm o nosso apoio e de toda a Câmara”, finaliza.