Região

Pedófilo abusa de garoto duas vezes

Da Redação ·

Dois anos depois de ser acusado de abusar sexualmente de um menino, o motorista Aldo Antônio Pimentel, 43 anos, teria voltado a molestar a criança, que hoje tem 10 anos.

continua após publicidade

O crime aconteceu nas Moradias Perdizes, em Pinhais. O suspeito foi preso em sua residência, no mesmo bairro. Na casa, foram encontrados material pornográfico e fitas de desenhos infantis. Aldo estava com prisão decretada pela Justiça.

O superintendente Osmair José Pereira da Silva, da DP de Pinhais, contou que Aldo mora em frente à casa da tia da criança. Na tarde de terça-feira, o garoto saiu para brincar na rua com um amiguinho.

continua após publicidade

Aldo pegou a vítima à força pelo braço e a levou para sua casa para ver desenho. O outro menino também teria sido levado pelo homem. “É uma residência grande. Tinha móveis quebrados e muita coisa revirada”, contou.

Relato

A criança relatou que, depois do abuso, conseguiu se livrar do pedófilo e foi para a casa dos pais, ali perto. O pai da criança procurou a polícia para novamente denunciar o pedófilo.

continua após publicidade

“Ele relata que o menino chegou chorando e tremendo”, contou o policial. Segundo a polícia, o laudo do Instituto Médico-Legal (IML) apontou conjunção carnal deu positivo. Agora, os policiais pretendem encontrar a mãe do colega da vítima para ver se ele também foi molestado.

Segundo a polícia, a criança já fora violentada por Aldo, em 2008. Além do menino, o homem teria molestado outro garoto. Na época, ele foi indiciado por atentado violento ao pudor. “Quando fomos verificar o inquérito vimos que ele estava com a prisão preventiva decretada no último dia 14”, destacou Osmair.

Aparentemente normal

continua após publicidade

Segundo o delegado Fábio Renato Amaro da Silva Júnior, assim como a maioria dos pedófilos, Aldo era uma pessoa acima de qualquer suspeita. “É um homem de meia-idade, solteiro, sem filhos, tinha emprego fixo e gozava de boa reputação na região onde morava.”

Apesar das evidências, ontem, Aldo negou as acusações e alegou sofrer de impotência sexual. “Quero que provem que eu fiz isso”, disse. No entanto, ele disse que já levou as crianças para dentro de casa. “Consertava videogame. Estou arrependido de levar esse pessoal lá.”

Aldo está preso na carceragem da delegacia e deverá ser transferido em breve. “Presos que cometem crimes sexuais não são tolerados pelos demais detentos”, explicou o delegado. Se condenado, ele poderá pegar até 24 anos de reclusão.