Região

Val discute com a PRF em Brasília multas na Minas Gerais

Da Redação ·
 Vereador levou reclamações a Brasília e busca saída política com apoio de Ratinho
fonte: Divulgação
Vereador levou reclamações a Brasília e busca saída política com apoio de Ratinho

Com apoio da assessoria do deputado federal Ratinho Júnior (PSC), foi realizado em Brasília, neste mês, um encontro entre o vereador Aldivino Marques da Cruz Neto, o “Val”, e representantes da Polícia Rodoviária Federal (PRF). Na pauta, as multas que estão sendo lavradas pela PRF contra vários motoristas que estacionam seus veículos nas avenidas Minas Gerais e Governador Roberto da Silveira, em Apucarana. “Nós aproveitamos a força política do deputado e a disposição de sua assessoria para expor o problema à PRF. As multas têm causado grande irritação nos motoristas e prejudicado vários estabelecimentos comerciais nas duas avenidas”, afirma o vereador.

continua após publicidade


Val explicou aos representantes da PRF que enquanto a discussão em torno do assunto esbarra em uma infinidade de questões burocráticas, motoristas e comerciantes estão sendo penalizados. “Nós sabemos que a PRF passou a ter autonomia sobre esses trechos e que está cumprindo a lei. Mas o fato é que muitos desses estabelecimentos comerciais existem há décadas e, se as pessoas não tiverem como estacionar em frente, eles serão tremendamente prejudicados”, acrescenta Val.

continua após publicidade


Sidnei Nunes de Souza, um dos presentes na reunião, é diretor jurídico do Sindicato dos Policiais Rodoviários Federais do Estado do Paraná. Ele afirmou que, em sua opinião, há duas saídas para o problema. A primeira é a municipalização dos dois trechos, o que retiraria a PRF do cenário. “É o caminho mais demorado, pois implica em tirar esses trechos do Plano Nacional Viário, o PNV, através de dois processos, um para a BR-369, outro para a BR-376”, afirma Sidnei Nunes.

Com a municipalização, a conservação também passaria a ficar por conta do município. A outra saída, segundo o diretor jurídico, é política. “Ela é mais rápida e compreende um amplo acordo através do qual se pode criar faixas alternativas de estacionamento, resolvendo ou pelo menos amenizando o problema. Os custos também devem ser suportados pela Prefeitura”, anunciou. O vereador Val considerou a conversa produtiva e disse que vai se reunir com o prefeito João Carlos e representantes do Departamento de Trânsito para retomar a discussão em torno do assunto.