Região

PRF, DER e Viapar avaliam riscos na BR 369

Da Redação ·
 Neste trecho da rodovia foram registrados os acidentes mais graves deste ano com registro de oito mortes entre abril e junho
fonte: Tribuna do Norte
Neste trecho da rodovia foram registrados os acidentes mais graves deste ano com registro de oito mortes entre abril e junho

Em reunião na manhã de ontem (17), a Polícia Rodoviária Federal (PRF), concessionária Viapar e o Departamento de Estradas de Rodagem (DER) se comprometeram em tomar providências técnicas para tentar diminuir o número de acidentes na BR-369 no trecho próximo ao monumento do Trópico de Capricórnio, entre Apucarana e Arapongas.

continua após publicidade


Neste trecho da rodovia foram registrados os acidentes mais graves deste ano com registro de oito mortes entre abril e junho. No último, um empresário de Ibitinga, São Paulo morreu após o capotamento de seu carro na tarde de domingo passado.


A Polícia Rodoviária Federal informou que vai intensificar a fiscalização de velocidade, principalmente na região citada. Os policiais vão atuar com radares móveis para coibir o abuso dos motoristas.

continua após publicidade


Segundo a PRF, o DER e Viapar se comprometeram em realizar um estudo técnico para implantar um radar fixo neste trecho e, havendo determinação do DER, a concessionária deve promover alterações técnicas na rodovia.


“As alterações que não dependem de estudo técnico serão imediatas e o estudo vai ser agilizado. Nós vamos encaminhar ao DER um levantamento dos pontos de vulneráveis à velocidade em toda extensão da rodovia”, disse o inspetor de unidade da PRF, Pedro Marques Faria.


O policial disse ainda que o ponto de ônibus em concreto, onde um carro colidiu e matou quatro jovens, deve ser removido cerca de 200 metros no sentido Apucarana. “Ele fica numa lombada, o que dificulta a visibilidade de pedestres”, explicou Faria.

continua após publicidade


Uma passarela para pedestres, entre as duas pistas também deve ser bloqueada para motos. “Motociclistas passam por ela e invadem a pista. Há relatos que já teriam provocado acidentes”, relatou o inspetor.
 

A Viapar informou que o trecho encontra-se sinalizado e que o maior problema é o abuso cometido por motoristas, cabendo a PRF coibir os excessos de velocidade cometidos na via.

Oito mortes em 3 meses
Para a Polícia Rodoviária Federal (PRF), as intervenções apontadas podem diminuir acidentes nesta rodovia. “São soluções concretas que estamos buscando para, em tese, garantir a segurança dos usuários. Contudo estes devem contribuir não abusando da velocidade”, disse o inspetor de unidade da PRF em Apucarana, Pedro Faria.


Em apenas dois meses, oito pessoas morreram em acidentes no mesmo trecho da BR-369, próximo ao marco do Trópico de Capricórnio em Arapongas, nos dois sentidos da rodovia. Em abril, morreram um bancário de Apucarana e quatro jovens de Arapongas em dois acidentes. Em maio, outros dois moradores de Arapongas morreram em um capotamento. No domingo, ultimo, outro capotamento matou um empresário de Ibitinga, São Paulo.
 

FISCALIZAÇÃO- Caminha para um acordo com o Departamento Nacional de Infraestrutura Terrestre (Dnit) a proposta da Prefeitura de Apucarana pela municipalização da avenida Minas Gerais, em Apucarana. Ao mesmo tempo a Polícia Rodoviária Federal está fazendo um estudo sobre a sua fiscalização nos municípios da região norte do Estado.