Região

Tropa do 30º BIMtz treina para o Haiti

Da Redação ·
Militares fazem treinos táticos nas ruas de Ponta Grossa: reproduzir cenário urbano
fonte: Hugo Harada/ Jornal da Manhã
Militares fazem treinos táticos nas ruas de Ponta Grossa: reproduzir cenário urbano

Uma tropa de 1,6 mil homens do Exército conclui semana que vem, em Ponta Grossa, a fase final de treinamento para a Missão de Paz no Haiti. Entre este contingente, do Comando Militar do Sul, está o efetivo de 34 militares do 30º Batalhão de Infantaria Motorizada (BIMtz) de Apucarana.

continua após publicidade


A tropa realiza exercícios básicos e avançados, como o deslocamentos de tropas a pé e motorizadas pelas ruas do município, além da constante circulação de comboios formados por caminhões e os carros de combates. Para que o treinamento sugira situações reais as atividades são realizadas em meio ao trânsito de pessoas e veículos nas ruas de Ponta Grossa. Entre as atividades está a simulação de ataque de guerrilheiros a comboios da Força de Paz.


Estes militares brasileiros vão integrar o Batalhão de Infantaria da Força de Paz Haiti (Brabatt). O 13º contingente representa o Brasil na Missão de Estabilização das Nações Unidas.

continua após publicidade


No dia 13 de julho, a tropa apucaranense, que integrará a histórica missão internacional do 30º BIMtz, será apresentada em solenidade para autoridades, familiares e convidados no quartel. Neste evento também será inaugurado um pavilhão que levará o nome do tenente-coronel Marcus Vinícius Macedo Cisneiros, que integrou o Exército em Apucarana e que morreu no terremoto do Haiti. No dia 28 de julho, os militares embarcam para Curitiba e no dia 30 para o Haiti.


“Este exercício coroa a preparação que foi iniciada no mês de março. É similar ao que vão encontrar no território haitiano”, explicou o tenente coronel José Roberto Soares Paes, comandante do 30º BIMtz.


O 13º contingente vai substituir a tropa brasileira de aproximadamente 2,5 mil homens que foi enviada emergencialmente para o Haiti, em janeiro deste ano.

continua após publicidade


A missão dos apucaranenses e demais militares é fazer segurança e manter a ordem no país devastado pelo tremor que matou cerca de 200 mil pessoas.


“Esta tropa vai realizar a mesma missão de antes do terremoto. O contingente que está hoje lá é é forte em elementos de engenharia de construção, bem como gente habilitada para ações de segurança”,disse Soares Paes.