Região

PF investiga situação de paraguaios que trabalham em Cambira

Da Redação ·

Policiais federais realizaram operação no município de Cambira nesta quarta-feira (31) pela manhã. Segundo a assessoria de imprensa da PF, o objetivo da ação é verificar as condições em que se encontra um grupo de cerca de 50 paraguaios que veio para o município trabalhar no Frigorífico Spaciari.

continua após publicidade

Conforme denúncia recebida pela PF, "os paraguaios estariam vivendo em situação irregular e em condições precárias e sendo suspostamente submetidos a trabalho escravo".

Além da PF, o Ministério Público do Trabalho acompanha a operação. O assessor jurídico do frigorífico, José Edilson Miranda, confirmou que existem paraguaios que atuam de forma irregular na empresa. Segundo ele, a greve da Polícia Federal teria atrasado a tramitação dos documentos.

continua após publicidade

O advogado não soube informar quantos funcionários estariam nesta condição. Ele disse apenas que 16 paraguaios que estão na empresa há cerca de um mês já possuem carteira de trabalho e são registrados conforme a lei.

Miranda relatou que quatro paraguaios teriam vindo até Maringá em busca de emprego depois que frigoríficos do país vizinho ao Brasil encerraram as atividades. Após a oportunidade dada pela empresa de Cambira, os paraguaios fizeram contatos com outros trabalhadores do setor e formaram repúblicas em hotéis da região onde estão alojados.

Os trabalhadores estão sendo ouvidos pela Polícia Federal na sede da empresa. "Vamos aguardar até o final da tarde para verificar o que pode ser feito. Foi a greve da Polícia Federal que atrapalhou a regularização dos paraguaios", reiterou o advogado José Edílson Miranda.

Leia mais na edição de quinta-feira (1) da Tribuna do Norte - Diário do Paraná