Região

Mauá da Serra dribla a estiagem e colhe boa safra de milho

Da Redação ·
Colheira de milho na fazenda de Humberto Uemura, em Mauá da Serra
fonte: Delair Garcia - Tribuna do Norte
Colheira de milho na fazenda de Humberto Uemura, em Mauá da Serra

Produtores rurais de Mauá da Serra finalizaram nesta semana a colheita de milho da safra de verão. Apesar da estiagem prolongada, que teve início no final de dezembro e avançou nos três primeiros meses deste ano, o município conseguiu alta produtividade, como é a sua tradição em todas as safras.

continua após publicidade


De acordo com o gerente da unidade local da Integrada Cooperativa Agroindustrial, Haroldo Feliciano Denofrio, a média de rendimento em Mauá da Serra e municípios vizinhos abrangidos pela cooperativa – Faxinal, Marilândia do Sul e Tamarana – tem ficado em torno de 380 sacas por alqueire. No entanto, há agricultor que, individualmente, alcançou mais de 450 sacas por alqueire. A área plantada é de 3,5 mil hectares.


Em anos anteriores, em condições normais de clima, Mauá da Serra sempre colhe uma média de 400 sacas por alqueire, o correspondente a 9,9 mil quilos por hectare. Alguns produtores atingem até 500 sacas por alqueire, ou seja, entre 12 mil e 13 mil quilos por hectare, a maior produtividade do Paraná comparada com outras regiões.

continua após publicidade


Segundo Denofrio, no mês de dezembro as lavouras estavam sentindo o efeito da estiagem, porém uma chuva boa ocorrida em janeiro ajudou na recuperação das plantas. Além disso, a alta tecnologia aplicada pelos agricultores através do plantio direto na palha, cuidados especiais na adubação e trato cultural também colaboraram para manutenção do alto rendimento.


Um dos agricultores de Mauá da Serra que tiveram uma boa safra de verão é Humberto Uemura, que plantou 21 alqueires de milho em sua propriedade localizada no bairro dos Caetanos. Ele teve uma produtividade de aproximadamente 400 sacas por alqueire. Segundo Uemura, no seu bairro rural não faltou chuva como em outras áreas do Paraná.


Segundo o engenheiro agrônomo Hernandes Takeshi Kanai, do escritório local do Instituto Emater, somente Mauá da Serra teve uma área plantada de 1.000 hectares de milho, tendo sido registrada uma produtividade de 9,5 mil quilos por hectare. No ano passado, o rendimento do município ficou na média geral de 10,5 mil quilos por hectare. Mas houve produtor que atingiu de 500 a 520 sacas por alqueire, mais de 12 mil quilos por hectare.