Região

Tratamento de saúde em Londrina vai ter R$ 1,5 milhão a mais por mês

Da Redação ·
 De forma emergencial, o Governo do Estado decidiu repassar cinco parcelas de R$ 100 mil ao município até o mês de março
fonte: AENotícias
De forma emergencial, o Governo do Estado decidiu repassar cinco parcelas de R$ 100 mil ao município até o mês de março

Londrina terá R$ 1,5 milhão a mais por mês para custear os tratamentos de média e alta complexidade para os pacientes do município. O anúncio foi realizado pelo secretário da Saúde, Gilberto Martin, na manhã desta sexta-feira (19). Acompanhado do prefeito da cidade, Barbosa Neto, o secretário lembrou que a conquista é fruto das negociações ocorridas em Brasília nos últimos meses e que recebeu a informação do governador Roberto Requião.

continua após publicidade

“Esta é uma ampliação significativa. Londrina tinha R$ 9,8 milhões para o pagamento dos serviços de alta e média complexidade no município. Com o incremento este valor passará a ser de R$ 11,3 milhões, ou seja, um acréscimo de mais de 15%”, disse Martin.

De acordo com o secretário, o valor inicial calculado pelo Ministério da Saúde para o reajuste era de R$ 1,1 milhão. “Mas lutamos pelo acréscimo maior, de R$ 1,5 milhão. Com este valor excedente, o município poderá negociar o déficit acumulado”, explicou.

continua após publicidade

O déficit citado pelo secretário levou o município a enfrentar sérios problemas de saúde no final do ano passado. Desde então o Governo do Estado, em parceria com a prefeitura, passou a discutir uma revisão nos valores do teto financeiro do SUS em Londrina com o Ministério da Saúde.

De forma emergencial, o Governo do Estado decidiu repassar cinco parcelas de R$ 100 mil ao município até o mês de março para ampliar o teto do SUS em Londrina e mais R$ 5 milhões para o Hospital Universitário como reforço financeiro para o atendimento dos pacientes durante este período. “Pela lógica do Sistema Único de Saúde, o Estado não tem como ter participação, uma vez que Londrina tem gestão plena do SUS, porém o momento era de crise”, lembrou Martin.

Desde 2003 foram investidos pelo Governo do Estado mais de R$150 milhões na saúde pública do município. Recentemente o Governo do Paraná inaugurou na cidade a reforma e ampliação do Hospital Zona Sul, que passou de 41 para 130 leitos. No dia 26 deste mês também está prevista a inauguração do Hospital Zona Norte, que passará de 56 para 130 leitos.

O Centro de Tratamento de Queimados, o segundo do Paraná e terceiro da região Sul a realizar especificamente este tipo de tratamento, foi construído pelo Governo do Estado com investimentos de R$ 2,3 milhões e inaugurado em 2007. Além disso, há a reforma e ampliação do Pronto-Socorro do Hospital Universitário, que teve R$ 4,7 milhões, além de repassar R$ 2,1 milhões em equipamentos para a unidade, que tinha última reforma registrada há 38 anos atrás.