Região

Sambistas invadem Cine Teatro Fênix nesta sexta

Da Redação ·
Com um elenco exclusivamente formado por mulheres e apoio da Fundação Cultural de Apucarana (FUCAP), o Cine Teatro Fênix será palco de um espetáculo de Samba com o Grupo Entretantas, nesta sexta-feira (24/04), a partir das 20 horas. Os ingressos, a preços populares, estão à venda no local a R$3 e dois ingressos a R$5. No repertório, músicas - na maioria mais melódicas e românticas - que remetem à invasão feminina no universo do samba.
continua após publicidade
Sinopse - Há algum tempo atrás, a participação das mulheres no samba ficava restrita a beleza e sensualidade. O Grupo Entretantas, formado por sete mulheres, adicionou a tudo isso carisma, talento e musicalidade. Com voz, violão, cavaco e percussão, elas adotam um repertório que narra o cotidiano do brasileiro pelas mãos de compositores como Noel Rosa, Adoniran Barbosa, Chico Buarque, Caetano Veloso, Mart´nália, entre outros. É música de primeira qualidade. "A gente se diverte, canta e ri muito", fala Regina Reis, uma das integrantes do Entretantas. Além dela, compõe o grupo Bete Frigeri, Márcia Néster, Maria Irene, Mauren Picelli, Sílvia Borba e Taciana Bernardi, todas em busca de algo a dizer através do samba. Ao todo, são dois anos de existência e muitas apresentações por Londrina. Inspiradas pela música "Entretanto" da Mart´nália, o grupo foi surgindo aos poucos, com uma amiga convidando a outra. No final eram sete mulheres experimentando, fazendo arranjos para sambas antigos e cantando um repertório rico em elementos da cultura popular e sobre o modo de vida dos brasileiros. "A gente, por ter um gosto musical bem eclético, acaba agregando um pouco de tudo. Dá para selecionar coisas mais elaboradas", conta Regina. Ela e Bete Frigeri, por exemplo, vêm de uma formação mais teórica e erudita. Mauren Picelli traz o suingue dos instrumentos de percussão. Já Sílvia, Maria Irene, Márcia e Camila não possuem formação musical teórica, porém trazem a experiência do canto coral.
continua após publicidade
O que chama atenção mesmo é a formação exclusivamente feminina. "A música profissional sempre foi uma coisa mais masculina. Até hoje não são muitas mulheres que estão no palco. Acho que é por isso que o grupo desperta curiosidade", reflete Regina. Esse universo também influencia, consciente ou inconscientemente, a escolha das músicas - na maioria mais melódicas e românticas. Formação: Bete Frigeri (violão, cavaquinho, voz), Regina Reis (violão, surdo, pandeiro), Mauren Picelli (pandeiro, tamborim, pau de chuva), Camila Linhares, Márcia Néster, Maria Irene e Sílvia Borba (voz).