Política

Wajngarten irrita cúpula da CPI; Aziz alerta que poderá chamá-lo como investigado

Da Redação ·

As respostas à CPI da Covid do ex-secretário de Comunicação da Presidência Fábio Wajngarten, convocado em razão de uma entrevista dada à revista Veja, irritaram a cúpula da comissão, a ponto de o presidente da CPI, Omar Aziz (PSD-AM), fazer um alerta. Ao retomar a sessão por volta do meio-dia desta quarta-feira, após um bate-boca, Aziz avisou que, se Wajngarten não responder objetivamente as perguntas, ele será dispensado e convocado novamente, mas em condição de investigado - e não como testemunha.

continua após publicidade

"O senhor não pode tentar passar a ideia que não estamos perguntando objetivamente. O senhor só está aqui por causa da entrevista à Veja, se não a gente nem lembraria que você existia", disse Aziz ao ex-secretário que, na visão dos integrantes da CPI, não apresenta à comissão a mesma versão dos fatos narrados à revista.

Na entrevista, Wajngarten afirmou que houve "incompetência" e "ineficiência" do Ministério da Saúde ao lidar com a Pfizer. Questionado sobre ter atribuído esses problemas à pasta comandada pelo ex-ministro Eduardo Pazuello, o ex-secretário disse que não chamou o general de incompetente. Foi quando Aziz interveio no interrogatório de Renan e pressionau o ex-secretário a dar respostas mais objetivas.