Política

Um dia após Alckmin ser vaiado, Lula diz que é preciso 'juntar os divergentes'

Giordanna Neves (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Um dia após pré-candidato à vice-presidência Geraldo Alckmin (PSB) ter sido vaiado, durante ato de apoio ao pré-candidato ao Planalto Luiz Inácio Lula da Silva (PT) em Natal (RN), o ex-presidente defendeu Alckmin e disse que é preciso "juntar os divergentes para vencer os antagônicos".

continua após publicidade

Alckmin foi vaiado quando teve o nome anunciado e também quando discursou. O público era formado por petistas e militantes de partidos aliados como o PSB, PCdoB e PSOL.

"Eu aprendi que a gente não tem que gostar apenas das pessoas que pensam como nós, é preciso aprender a viver com os diferentes", disse Lula. "É por isso que estamos construindo essa aliança, para a gente tentar fazer coisa com mais gente, não é só um partido, não é só um pensamento ideológico, é mais gente. Tem muita gente boa que não está no nosso meio", continuou.

continua após publicidade

Ao justificar a aliança, Lula disse que todos convergem para não deixar o País "continuar sendo governado por um genocida", em referência ao presidente Jair Bolsonaro (PL).