Política

TSE apresenta novo modelo de urna para eleição 2022

Serão produzidas 225 mil urnas modelo UE2020, com tela sensível ao toque

Da Redação ·
Imagem ilustrativa da notícia TSE apresenta novo modelo de urna para eleição 2022
fonte: Divulgação TSE

O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Luís Roberto Barroso, voltou a destacar os mecanismos de segurança, auditabilidade e de transparência da urna eletrônica, presente há 25 anos na vida do eleitorado brasileiro. As declarações do ministro sobre a confiabilidade do sistema de votação do país foram dadas em entrevista coletiva, depois que ele e uma equipe do Tribunal visitaram nesta segunda-feira (13), em Manaus (AM), a fábrica que começou a produzir os módulos que vão compor as urnas Modelo UE2020.

continua após publicidade

As novas urnas, segundo o TSE, são mais modernas, seguras e com mais requisitos de acessibilidade. O novo modelo permitirá  maior rapidez na identificação do eleitorado. Uma das mudanças é que o terminal do mesário terá tela totalmente gráfica, sem teclado físico, e superfície sensível ao toque. Segundo o TSE, isso permite  que enquanto uma pessoa vote, outra possa ser identificada pelo mesário, o que aumenta o número de eleitores por seção ou diminui eventuais filas.

Durante a entrevista aos jornalistas, Barroso enfatizou que a visita à fábrica é um momento importante do processo eleitoral, por ser o começo da produção em larga escala das placas-mãe tanto do terminal do mesário quanto do eleitor. “Aqui neste local é feita a montagem das placas-mãe dos terminais. E essa é uma ocasião que merece ser destacada”, disse.

continua após publicidade

Em Manaus, a fabricação dos módulos ocorre no Distrito Industrial. A linha de produção da Positivo Tecnologia – que venceu a licitação e fabricará a 225 mil novas urnas, de um total de 577 mil que serão usadas nas Eleições 2022 – segue rigorosos padrões de segurança.

Barroso informou que as 225 mil novas urnas eletrônicas permitirão a renovação do parque dos equipamentos da Justiça Eleitoral, já que a vida útil de uma urna é de 10 a 12 anos. O ministro também explicou que, embora as placas-mãe sejam fabricadas em Manaus, a montagem final das urnas ocorre em Ilhéus (BA), por uma questão de logística de distribuição. Segundo Barroso, o TSE espera receber os equipamentos prontos até maio de 2022.