Política

TJ-SP nega liberdade a vereadores de Mogi das Cruzes presos por corrupção

Da Redação ·

O Tribunal de Justiça de São Paulo negou dois pedidos de soltura apresentados pelos vereadores Antonio Lino (PSD-SP) e Mauro Araújo (MDB-SP) de Mogi das Cruzes, município a leste da Grande São Paulo, que tiveram a prisão preventiva decretada nesta sexta, 4, na Operação Legis Easy.

continua após publicidade

As duas decisões foram proferidas neste sábado por desembargadores de plantão, que alegaram não ver irregularidades nas decisões que determinaram a prisão preventiva dos parlamentares.

As investigações apuram supostos crimes de corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro envolvendo a Câmara Municipal de Mogi das Cruzes e contratos da Secretaria de Saúde e do Serviço Municipal de Águas e Esgotos.

continua após publicidade

Entre os parlamentares que foram alvo das ordens preventivas estão: Carlos Evaristo da Silva (PSB), Diego de Amorim Martins (MDB), Francisco Moacir Bezerra (PSB), Jean Lopes (PL) e Mauro Araújo (MDB). Também foram presos Carlos César Claudino de Araújo (irmão de Mauro Araújo), Willian Casanova e Joel Leonel Zeferino, da construção civil.

De acordo com o Ministério Público de São Paulo, os empresários compravam apoio para aprovar leis encomendadas por eles. A Promotoria indicou ainda que companhias do vereador Mauro Araújo, de seu irmão e do ex-assessor Willian Casanova seriam usadas para lavar dinheiro.

COM A PALAVRA, A DEFESA

A reportagem busca contato com a defesa dos investigados. O espaço está aberto a manifestações.