Política

Temos alinhamento 'quase perfeito' com o Congresso, afirma Bolsonaro a prefeitos

Da Redação ·

O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta terça-feira que tem um alinhamento "quase perfeito" com a Câmara e o Senado. "Não dá para ser 100%", destacou o chefe do Executivo em discurso na Marcha dos Prefeitos. "Em poucas coisas divergimos, isso é normal na política", acrescentou.

continua após publicidade

O governo tem o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), como um aliado de primeira hora no Congresso, mas enfrenta resistência para aprovar pautas no Senado, Casa dirigida por Rodrigo Pacheco (PSD-MG).

O discurso de Bolsonaro foi marcado por uma série de acenos aos prefeitos presentes. O presidente lembrou que a União deverá pagar a segunda parcela dos recursos obtidos com cessão onerosa, feito em 2019.

continua após publicidade

"Eu me considero prefeito também e faremos um bom uso disso tudo", destacou o chefe do Executivo, que também defendeu as recentes mudanças na lei da improbidade administrativas - criticadas pelo Judiciário e defendidas pelo mundo político. "Trabalhamos para dar mais tranquilidade aos senhores".

Bolsonaro ainda voltou a fazer críticas indiretas ao Supremo Tribunal Federal (STF), em meio à crise iniciada com o perdão concedido ao deputado Daniel Silveira (PTB-RJ) e ampliada após as críticas de Luís Roberto Barroso, magistrado da Corte, às Forças Armadas.

O chefe do Executivo chamou a liberdade de expressão de "algo inegociável", destacou que "certos poderes" não podem inferir no "destino final" do País e finalizou seu discurso com o lema de inspiração fascista: "Deus, Pátria e Família".