Política

Tarcísio diz que nunca foi radical e rejeição de mulheres a Bolsonaro tem caído

Gustavo Queiroz (via Agência Estado) ·
Receba notícias no seu WhatsApp!
Participe dos grupos do TNOnline

Antes de almoço com executivas e empresárias mulheres nesta segunda-feira, 25, o pré-candidato ao governo de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos), defendeu que a rejeição do público feminino ao presidente Jair Bolsonaro "está mudando". O ex-ministro também disse que "nunca foi radical" e que o presidente endossa seu perfil.

continua após publicidade

Tarcísio classificou o evento como "muito importante" e disse que a campanha trabalha o discurso e a agenda para reverter o quadro atual. "(Essa rejeição) já está mudando. A gente tem trabalhado isso em termos de discurso, de agenda, os levantamentos mais recentes que a gente tem já estão mostrando um equilíbrio maior", completou.

Pesquisas mostram que Bolsonaro tem mais rejeição entre mulheres e menor intenção de voto, sobretudo entre as mais pobres. Pesquisa XP/Ipespe divulgada nesta segunda-feira, 25, por exemplo, indica que o voto dos jovens, das mulheres e da população com menor faixa de renda garante a dianteira do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) sobre Bolsonaro na disputa eleitoral. Lula tem 50% da preferência entre os eleitores de 16 a 34 anos, ante 27% de Bolsonaro. Entre as mulheres, o candidato do PT tem 48%, e o presidente, 30%. Bolsonaro marca 28% entre quem ganha até dois salários mínimos, e Lula, 51%.

continua após publicidade

Questionado se pretende se distanciar dos discursos feitos à base mais aguerrida de Bolsonaro, Tarcísio disse que mantém uma linha pragmática apoiada pelo presidente. "Mesmo conhecendo meu perfil, ele me abençoou para cá porque ele percebeu que tenho identidade com o eleitor paulista. A minha postura é bastante aliada ao presidente, foi nesse perfil que ele apostou."

Tarcísio também minimizou uma possível aproximação do governador Rodrigo Garcia (PSDB) com o eleitorado bolsonarista. "Eleitor bolsonarista está vacinado contra isso. Bolsonaro tem uma representação em São Paulo e não é o Rodrigo obviamente. Meu discurso é muito afinado ao que esse eleitorado deseja", argumentou.

Entre as convidadas no almoço com executivas e empresárias, estavam a CEO do Grupo Voto, Karim Miskulin, da Atom, a embaixadora da Endeavor Brasil, Marly Parra, a presidente da Ornare, Esther Schattan, a fundadora da Sorridents, Carla Sarni, e a vice-presidente da América Latina Star Insurance Company, Claudia Scarpa.

Também participou do evento no Palácio Tangará, em São Paulo, o ex-ministro Marcos Pontes, escolhido por Bolsonaro para compor a chapa com Tarcísio pelo Senado no Estado.